ASSINE

Com Selic a 5%, bancos reduzem juros de empréstimos e financiamentos

Algumas entidades bancárias anunciaram corte feito pelo Banco Central será repassado integralmente para o consumidor

Publicado em 30/10/2019 às 20h37
Atualizado em 05/08/2020 às 17h58
Faça as contas: Juros. Crédito: Pixabay
Faça as contas: Juros. Crédito: Pixabay

Os reflexos do corte da Selic feito nesta quarta-feira (30) já estão sendo repassados dos bancos para o consumidor. O Banco Central anunciou que a taxa básica de juros caiu de 5,5% para 5% ao ano - o menor patamar histórico. Com esse movimento, o acesso ao crédito vai ficar um pouco mais barato para os usuários de alguns serviços bancários.

O Banco do Brasil é um dos que divulgaram que haverá redução nas taxas de juros para várias de suas linhas de crédito. A aquisição de imóveis nas linhas Carteira Hipotecária e Sistema Financeiro da Habitação (SFH), dependendo do prazo e perfil do cliente, pode chegar a uma ter uma diminuição de até 0,82 p.p. ao ano.  Para a linha BB Crédito Veículos, a taxa de juros passa de 0,77% ao mês para 0,6% ao mês.  Já para a aquisição de outros bens na modalidade BB Crediário, a taxa mínima passa de 3,27% ao mês para 3,15% e a máxima sai dos atuais 3,80% ao mês para 3,68%.

Para o Home Equity do banco, as taxas praticadas pelo banco serão reduzidas de 1,38% ao mês para 1,34% na faixa mínima, e de 1,80% para 1,76% ao mês na faixa máxima.  Já para o produtor rural, o BB vai reduzir de 8,50% para 7,50% ao ano (mínimas) e de 10,85% para 10,35% ao ano (máximas). Na linha Comercialização, os juros passam de 8,70% para 7,40% ao ano (mínimas).

Outro banco que anunciou a redução de juros foi o Itaú. De acordo com a instituição financeira, o corte de 0,50 ponto percentual na taxa básica (Selic) será repassado integralmente em linhas de crédito. "O corte para pessoa física será no empréstimo pessoal, enquanto para pessoa jurídica será no capital de giro. Os novos valores passam a valer a partir de segunda-feira (04) e variam de acordo com o perfil do cliente e de seu relacionamento com o banco", disse em nota.

Já o Banestes informou que irá fazer uma reavaliação das taxas de alguns produtos e, em breve, terá o anúncio das novidades.

QUEDA DA SELIC

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) cortou a Selic pela terceira vez consecutiva depois de um período de 16 meses de estabilidade. O BC usa a Selic para controlar a inflação: quando esta última em alta ou acima da média projetada, o Copom eleva a primeira. Dessa forma, os juros bancários também tendem a subir, o que freia o crédito e o consumo. Com isso, a o aumento inflacionário cai. Mas com a inflação controlada e baixa, como agora, o comitê reduz a taxa de juros para estimular o consumo.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.