ASSINE

Viana inaugura escola cívico-militar para 600 alunos

Além da grade curricular tradicional, que inclui disciplinas como Português e Matemática, alunos do novo colégio vão ter estudos extras, como Cidadania e Ética

Publicado em 12/10/2020 às 17h28
Atualizado em 13/10/2020 às 09h37
Primeira escola cívico-militar do ES é inaugurada em Viana
Escola cívico-militar é inaugurada em Viana. Crédito: Samy Ferreira/TV Gazeta

Erramos: ao contrário do que foi publicado originalmente, no dia 12 de outubro, a escola cívico-militar em Viana não foi a primeira do Espírito Santo. O município de Montanha, no Norte do Estado, inaugurou uma unidade escolar com as mesmas diretrizes no dia 2 de março deste ano. O texto foi corrigido. 

Foi inaugurada nesta segunda-feira (12) a  primeira escola cívico-militar de Viana. O diferencial da Escola João Natalício Alves Pereira, localizado no bairro Vila Bethânia, é que além da grade curricular tradicional, que inclui disciplinas como Português e Matemática, por exemplo, serão ofertados também estudos como Cidadania e Ética. As aulas, porém, não começam agora devido à pandemia do novo coronavírus

Ao todo, serão 600 alunos do primeiro ao nono ano que irão estudar na instituição. A escola possui dez salas e biblioteca, dentre outros espaços. Para as aulas cívicas, complementárias à grade curricular comum, foi firmada uma parceria entre o Executivo do município e Polícia Militar.

"Nós temos um convênio, com policiais da reserva, que têm formação acadêmica, graduação em uma das áreas da educação, que vão conduzir essas disciplinas. Nós ampliamos o número de horas dessa escola, o número de aulas, para que fossem agregadas essas disciplinas aos outros conteúdos obrigatórios ", explicou a secretária de educação de Viana, Luzian Belisário.

Apesar de a escola ter sido inaugurada nesta segunda, com solenidade, as aulas por enquanto não vão acontecer. Isso porque o município de Viana ainda não decidiu se as aulas presenciais serão retomadas em 2020. Mas quando isso acontecer, os alunos que conseguiram realizar matrícula na escola cívico-militar sairão das outras instituições que estão atualmente para terem aulas no novo colégio. 

VAGAS ESGOTADAS

As vagas para a nova escola já estão esgotadas. Porém, quem tiver interesse em estudar no local, pode colocar o nome em uma fila de espera. A professora Laudiceia Mendes de Souza contou que, após meses aguardando as vagas, ela conseguiu matricular as duas filhas na instituição de ensino.  

"O que nos foi prometido é que a escola seria mais voltada para a ética, para o cívico e ao amor à pátria, o que, para nós, é muito importante. Hoje, ao ver as bandeiras aqui, fiquei emocionada. A gente não vê mais isso nas outras escolas", disse.

Com informações de Aurélio de Freitas, da TV Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.