ASSINE

Rio Doce deve chegar a 7,2 metros e mais regiões ficarão alagadas em Colatina

De acordo com o comunicado da Defesa Civil, pelo menos outras cinco áreas em Colatina tem a cota de inundação de 7,10 metros. Os alagamentos já deixaram quatro famílias e um idoso desalojados

Tempo de leitura: 2min
Colatina
Publicado em 11/01/2022 às 17h21
Em Colatina, nível do Rio Doce já ultrapassa cota de inundação.
Em Colatina, nível do Rio Doce já ultrapassa cota de inundação. Crédito: Gabriela Fardin

Rio Doce, em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, deve chegar a 7,20 metros até as 20 horas desta terça-feira (11). São 1,4 metros acima da cota de inundação, de 5,80 metros, que já foi ultrapassada durante a manhã. Os alagamentos já deixaram quatro famílias e um idoso – totalizando 15 pessoas – desalojados. Com o novo alerta desta noite, pelo menos outras cinco áreas devem ser atingidas pela cheia do rio.

De acordo com o comunicado da Defesa Civil, as áreas são: região da rodoviária; o calçadão em frente ao Supermercado Oba; a área verde da Avenida Beira Rio; a rua do Hospital Santa Maria; e a Rua Vitório Cosmo, no bairro Santa Helena. Nessas áreas a cota de inundação é de 7,10 metros.

Comunicado da prefeitura alerta para as cotas de inundações nos pontos monitorados.
Comunicado da prefeitura alerta para as cotas de inundações nos pontos monitorados. Crédito: Prefeitura de Colatina

Entre as quatro famílias desalojadas, duas são do bairro Maria Ismênia, e as outras duas moradoras do bairro Adélia Giuberti. Já o idoso precisou sair da casa em que mora no Centro.

Este vídeo pode te interessar

A cheia é resultado da forte chuva que incide em Minas Gerais, na região da cabeceira do rio, principalmente na Usina de Mascarenhas.

LINHARES

Já em Linhares, o Rio Doce atingiu 4,40 metros. Há inundação em áreas do município quando o nível chega a 3,45 metros. A tendência é que o volume de água aumente nas próximas horas. A previsão é de que ainda na noite desta terça-feira (11) o Rio chegue a 5,10 metros em Linhares.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.