ASSINE

Número de mortes vai definir o risco de contágio de cada município do ES

A partir de setembro, o modelo da atual Matriz de Risco deve ser abandonado. Número de mortes será usado em nova classificação

Publicado em 14/08/2020 às 20h44
Prefeitura confirma segunda morte por Covid-19 em Linhares
Prefeitura confirma segunda morte por Covid-19 em Linhares. Crédito: Eduardo Dias/TV Gazeta

O número de mortos de Covid-19 em cada município vai ser o vetor utilizado pelo governo estadual para classificar o grau de risco das cidades capixabas para o contágio do novo coronavírus. A mudança deve acontecer no início de setembro, segundo informou o governador Renato Casagrande durante pronunciamento, nesta sexta-feira (14). 

Desde abril, a gestão estadual utiliza a Matriz de Risco para classificar em risco baixo, moderado, alto e extremo a situação da pandemia em cada cidade. Nela são considerados os  indicadores de número de pessoas contaminadas, letalidade, índice da população com mais de 60 anos, índice de isolamento social e taxa de ocupação de leitos de UTI. 

Para cada classificação, foram estruturados protocolos de funcionamento de comércio, horários e dias, e estratégias de ações de prevenção. Além disso, também visa-se evitar o lockdown, que seria o fechamento total dos estabelecimentos e evitar ao máximo a circulação de pessoas.   

"Agora, nossa equipe técnica está trabalhando para uma nova etapa dos procedimentos para lidar com a pandemia. A partir do mês de setembro, possivelmente, será determinado o risco em razão ao número de óbitos de cada município. Nosso objetivo é reduzir ainda mais os óbitos de pessoas por essas pessoas, pois salvar vidas sempre foi a prioridade", pontuou Renato Casagrande. 

Renato Casagrande

Governador do Estado

" Reduzir o número de mortes por Covid-19 não é apenas uma tarefa da administração pública, é de todos nós. Precisamos fazer um pacto com a sociedade capixaba, vamos nos reunir com entidades da sociedade e prefeitos para que possamos ter foco na redução de óbitos"

Independente da nova forma de definir o grau de risco das cidades - e consequentes protocolos a serem aplicados -, o  governador reforçou a necessidade do cumprimento das medidas de higiene e distanciamento, em especial pela redução do isolamento.

"As atividades que estamos liberando devem contar com o  uso de máscaras, o álcool em gel, o número adequado de pessoas dentro de uma loja, entre outras. Isso precisa ser cumprido e não dá para o Estado manter sozinho. A nossa meta é que possamos anunciar que ninguém mais morreu por covid-19 no Espírito Santo", pontuou.  

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.