ASSINE

Doses da vacina da Pfizer para crianças devem chegar ao ES na sexta (14)

De acordo com o Ministério da Saúde, o voo com as doses que serão usadas para vacinar as primeiras crianças capixabas vai decolar em Guarulhos por volta das 22h45 desta quitnta (13) e deve chegar a Vitória por volta das 0h15 de sexta (14)

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 13/01/2022 às 11h18

As doses da vacina da Pfizer contra Covid-19 para crianças de cinco a 11 anos chegaram ao Brasil na madrugada desta quinta-feira (13) e serão distribuídas aos estados ao longo do dia. Segundo o Ministério da Saúde, o Espírito Santo deve receber as doses no início da madrugada de sexta (14).

De acordo com o ministério, o voo com as doses que serão usadas para vacinar as primeiras crianças capixabas vai decolar no Aeroporto de Guarulhos (SP) por volta das 22h45 desta quinta (13) e deve chegar a Vitória por volta das 0h15 de sexta (14).

De acordo com o secretário de Saúde do ES, Nésio Fernandes, ainda nesta sexta (14) e no sábado (15) as doses começarão a ser aplicadas nas crianças.

Este vídeo pode te interessar

O número de doses que será recebido por cada estado não foi divulgado pelo ministério.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Espírito Santo tem 393.089 crianças na faixa etária de 5 a 11 anos.

O frasco da Pfizer para crianças terá cor laranja.
O frasco da Pfizer para crianças terá cor laranja. Crédito: Paul Hennessy/ SOPA Images/ Sipa USA

A vacina pediátrica tem diferenças em relação à que foi aplicada nos adultos. Por isso, o governo federal adquiriu uma versão específica do produto com dosagens e frascos diferentes, apesar de o princípio ativo ser o mesmo.

De acordo com o governo federal, a vacinação infantil ocorrerá:

  • Em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas
  • Sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação
  • Com intervalo de oito semanas – um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.

*Com informações do G1 ES

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.