ASSINE

Primeiro lote da vacina pediátrica da Pfizer contra a Covid chega ao Brasil

Lote com 1,2 milhão de doses de vacinas pediátricas contra a Covid da Pfizer chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 4h38 desta quinta-feira (13). As vacinas serão aplicadas em crianças de 5 a 11 anos

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 13/01/2022 às 10h34

Brasil recebeu na madrugada desta quinta-feira (13) o primeiro lote de vacinas pediátricas contra a Covid-19. A carga com 1,2 milhão de doses de imunizantes da Pfizer chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 4h38.

Brasil recebe primeiro lote de vacinas contra covid-19 para crianças
Brasil recebe primeiro lote de vacinas contra covid-19 para crianças. Crédito: Alex Sandro / TV Brasil

A distribuição das doses começa nesta quinta, de acordo com o critério populacional, ou seja, será proporcional à população de crianças em cada estado e no Distrito Federal. A previsão é que o público infantil comece a ser vacinado na sexta-feira (14).

Confira o percentual da população de 5 a 11 anos por estado:

  • Região Centro-Oeste (8,17%)
    Distrito Federal - 1,30%
    Goiás - 3,55%
    Mato Grosso do Sul - 1,47%
    Mato Grosso - 1,85%
  • Região Sudeste (39,18%)
    Espírito Santo - 1,93%
    Minas Gerais - 9,02%
    Rio de Janeiro - 7,49%
    São Paulo - 20,73%
  • Região Sul (13,17%)
    Paraná - 5,25%
    Rio Grande do Sul - 4,73%
    Santa Catarina - 3,19%
  • Região Nordeste (28,43%)
    Alagoas - 1,77%
    Bahia - 7,07%
    Ceará - 4,42%
    Maranhão - 4,02%
    Paraíba - 1,89%
    Pernambuco - 4,80%
    Piauí - 1,62%
    Rio Grande do Norte - 1,67%
    Sergipe - 1,17%
  • Região Norte (11,05%)
    Acre - 0,57%
    Amazonas - 2,77%
    Amapá - 0,55%
    Pará - 4,99%
    Rondônia - 0,93%
    Roraima - 0,38%

As vacinas pediátricas da Pfizer serão aplicadas em crianças de 5 a 11 anos. A imunização começará por menores com comorbidade, deficiência permanente, indígenas e quilombolas. Em seguida, o Ministério da Saúde recomenda que sejam vacinadas crianças que vivem com pessoas dos grupos de risco.

Depois disso, haverá um escalonamento por faixa etária, começando pelos mais velhos.

A informação do Ministério da Saúde é que serão entregues 4,3 milhões de doses de vacinas em janeiro, 7,2 milhões em fevereiro e 8,4 milhões em março.

A vacinação não será obrigatória. "As vacinas contra a Covid são emergenciais e foram autorizadas no âmbito da emergência sanitária e são incluídas apenas no PNO (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19)", disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na quarta-feira (12).

A DIFERENÇA ENTRE VACINAS PARA ADULTOS E CRIANÇAS

Umas das principais diferenças das vacinas para crianças daquelas que são aplicadas em adultos é a cor das tampas — enquanto as pediátricas são laranjas, as dos maiores de 12 anos são roxas.

O objetivo é facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e pelos responsáveis que acompanharão os pequenos nos postos de saúde.

Outro ponto é a dosagem. Enquanto para os maiores de 12 anos as doses da Pfizer são de 0,3 ml, para os mais novos a dosagem é inferior, de 0,2 ml. Nos outros produtos aprovados para adultos, como Coronavac e AstraZeneca, a dose é de 0,5 ml.

O tempo de armazenamento também muda. Enquanto para os mais velhos o imunizante pode ficar na geladeira entre 2ºC a 8ºC durante apenas um mês, para os pequenos são permitidas até dez semanas.

Além disso, o frasco da vacina das crianças comporta dez doses, mais do que a versão para maiores de 12 anos, cujo frasco comporta seis doses.

Uma semelhança entre as duas vacinas é o intervalo entre a primeira e a segunda doses do produto da Pfizer. Tanto para crianças quanto para maiores de 12 anos o espaçamento é de oito semanas.

Em adultos, segundo a Anvisa, o prazo é de duas a quatro semanas com a Coronavac e de quatro a 12 semanas com a AstraZeneca. Em relação à Janssen, a segunda dose deve ser aplicada dois meses após a primeira.

*Com informações da Agência Brasil

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.