ASSINE

O que você precisa saber sobre vacinação contra Covid em crianças

Tire suas dúvidas sobre a vacina e o esquema de imunização de crianças de 5 a 11 anos no Brasil, que deve começar em janeiro

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 06/01/2022 às 11h47
O frasco da Pfizer para crianças terá cor laranja.
O frasco da Pfizer para crianças terá cor laranja. Crédito: Paul Hennessy/ SOPA Images/ Sipa USA

Crianças de 5 a 11 anos foram incluídas no plano nacional de vacinação contra a Covid-19 e devem começar a ser vacinadas ainda neste mês de janeiro. O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (5) que as crianças vão receber a vacina pediátrica da Pfizer para a Covid-19 sem a necessidade de apresentação de prescrição médica. Confira as principais informações e tire dúvidas sobre a vacinação deste público-alvo:

Quando a vacinação em crianças de 5 a 11 anos vai começar?

A partir do dia 14 de janeiro de 2022. As primeiras doses de vacinas pediátricas contra a Covid-19 estão previstas para chegar ao Brasil no dia 13 de janeiro. O lote terá 1,248 milhão de doses.

A composição da vacina para crianças é igual a de adultos?

Não. O imunizante pediátrico da Pfizer é o único aprovado até o momento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A composição das vacinas infantis é diferente da dos adultos e contém um terço da dose. Para distingui-las, os frascos terão as cores laranja e roxa, respectivamente. O imunizante infantil poderá ser armazenado por um tempo maior, de 10 semanas, de 2°C a 8°C que a destinada a adultos, com prazo de quatro semanas. O frasco terá 10 doses.

Como será o esquema das doses?

O esquema vacinal será com duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações.

  • D1 > intervalo de 8 semanas > D2

Este vídeo pode te interessar

O tempo é superior ao previsto na bula da vacina da Pfizer. Na indicação da marca, as duas doses do imunizante poderiam ser aplicadas com três semanas de intervalo.

"Todos sabem que os estudos demonstraram, principalmente em adultos, que no intervalo maior de três semanas há uma maior produção dos anticorpos neutralizantes, ou seja, nós temos um benefício maior", afirmou Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária de Enfrentamento da Covid-19 do Ministério da Saúde.

De acordo com ela, efeitos adversos também foram considerados para um intervalo maior.

"As crianças têm um risco de miocardite, é um risco raro, mas nós queremos que esses riscos nessas nossas crianças sejam o menor possível, queremos minimizá-lo ao máximo. E os trabalhos demonstram que, se a gente ampliar esse espaço de tempo, se for acima de 21 dias até oito semanas, dá maior proteção para evitar esse efeito adverso", disse a secretária.

Qual será a ordem de prioridade da vacinação em crianças?

  1. crianças com comorbidades e com deficiências permanentes;
  2. indígenas e quilombolas;
  3. crianças que vivem com pessoas com riscos de evoluir para quadros graves da Covid-19;
  4. crianças sem comorbidades.

Precisa ter autorização dos pais para vacinar criança contra Covid-19?

Sim. Segundo o Ministério da Saúde, será preciso que a criança vá vacinar acompanhada dos pais ou responsáveis ou leve uma autorização por escrito.

Não precisa de receita médica?

Não. A obrigação de prescrição médica para aplicação da vacina não foi incluída como uma exigência. Mas o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sugeriu que os pais procurem profissionais de saúde se isso contribuir para deixá-los mais “seguros” para decidir sobre a imunização.

Vai ter vacina suficiente para todas as crianças?

O Ministério da Saúde anunciou que deve receber até março ao menos 20 milhões de doses pediátricas da Pfizer contra a Covid-19, suficientes para imunizar cerca de metade da população de crianças de 5 a 11 anos.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estima que, em 2021, havia 20,4 milhões de pessoas de 5 a 11 anos. Como a vacina da Pfizer é aplicada em duas doses, o volume hoje previsto para chegar ao Brasil no primeiro trimestre deve servir para imunizar metade deste público (10 milhões de crianças).

O governo espera receber 3,7 milhões de doses até o fim de janeiro. As unidades serão distribuídas de forma proporcional para os estados e o Distrito Federal, responsáveis pela aplicação do imunizante.

“Não faltará vacina para nenhum pai que queira vacinar seus filhos”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O secretário executivo do órgão, Rodrigo Cruz, informou que outras 20 milhões de doses foram reservadas. O envio está condicionado à confirmação pelo laboratório e pelo andamento do ritmo de vacinação.

Marcelo Queiroga informou, ainda, que o custo total da vacinação da população de 5 a 11 anos deve ser em torno de R$ 2,6 bilhões.

Em nota, a Pfizer confirmou a assinatura do contrato de aquisição das 20 milhões de doses e o início da entrega na “semana do dia 10 de janeiro”.

Qual é a programação da chegada de vacinas contra a Covid para crianças no Brasil?

  • 3,74 milhões de doses em janeiro
  • 20 milhões no primeiro trimestre
  • 20 milhões no segundo trimestre

*20,4 milhões é o público-alvo estimado para a vacinação, de crianças de 5 a 11 anos no Brasil; são necessárias 40 milhões de doses para vacinar todas com duas doses.

Esta matéria será atualizada no caso de novas informações complementares ou mudanças nos dados já informados.

*Com informações da Agência Brasil e da Agência Folhapress

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.