ASSINE

Dois médicos morreram por Covid-19 nos últimos dois dias no ES

Os dois profissionais atuavam na linha de frente no combate ao novo coronavírus em hospitais do Espírito Santo

Publicado em 18/06/2020 às 18h55
Atualizado em 18/06/2020 às 18h58
Adonai Albuquerque Machado, de 48 anos, trabalhava em Cachoeiro de Itapemirim e em Presidente Kennedy
Adonai Albuquerque Machado, de 48 anos, trabalhava em Cachoeiro de Itapemirim e em Presidente Kennedy. Crédito: Redes sociais

Atuando na linha de frente no combate ao novo coronavírus, dois médicos do Espírito Santo morreram vítimas da Covid-19 apenas nos últimos dois dias. Adonai Albuquerque Machado, de 48 anos, trabalhava em Cachoeiro de Itapemirim e em Presidente Kennedy, Sul do Estado. Já o anestesista Vinícius Barbosa Santos, de 44 anos, trabalhava em três hospitais da Grande Vitória.  

O Conselho Regional de Medicina do Estado (CRM-ES) definiu as vítimas como profissionais de qualidade, que prestavam um serviço importante para a população.

Adonai era servidor público há mais de 13 anos e atuava como médico lotado no pronto-atendimento de Presidente Kennedy. Ele, que também era um dos profissionais no combate ao coronavírus no Pronto-Socorro Paulo Pereira Gomes, em Cachoeiro de Itapemirim, morreu na última quarta-feira (17), vítima da Covid-19.

Na ocasião, colegas de trabalho em ambulâncias e amigos fizeram um cortejo pelas ruas de Presidente Kennedy em homenagem ao médico. Já o prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho, manifestou-se nas redes sociais.

“É com muita tristeza que recebi a notícia da nossa equipe da Secretaria de Saúde, que está profundamente comovida com a perda desse profissional, que tanto lutou conosco contra essa terrível pandemia e cuidou, de forma exemplar, de seus pacientes. A prefeitura se solidariza com as famílias e amigos de Dr. Adonai e das outras 29 vítimas da Covid-19 em Cachoeiro de Itapemirim, e continua pedindo que, quem puder, fique em casa, para que nossas equipes da Saúde continuem trabalhando com segurança, pelo bem de toda cidade”, escreveu o prefeito.

Já na madrugada desta quinta-feira (18), a vítima da Covid-19 foi o médico anestesista Vinícius Barbosa Santos,  44 anos. Ele estava internado há três dias no Hospital Meridional, em Cariacica. Com obesidade e hipertensão, o médico narrava aos colegas o medo que sentia da doença.

O médico anestesista Vinícius Barbosa Santos deixou uma filha
O médico anestesista Vinícius Barbosa Santos deixou uma filha. Crédito: Acervo pessoal

De acordo com o presidente da Sociedade de Anestesiologia do Estado do Espírito Santo (Saes), Wellington Pioto, Vinícius já demonstrava preocupação com o coronavírus desde o início da pandemia. Por isso, decidiu sair da casa dos pais em março deste ano para não colocá-los em risco.

O médico sentiu os primeiros sintomas da Covid-19 na última semana. No dia 8, ele foi ao hospital e recebeu afastamento do trabalho por 14 dias, sendo liberado para o tratamento em casa. Mas dias depois, o anestesista pirou, retornou ao hospital e não resistiu. Ele deixou uma filha pequena. 

Wellington Pioto

Presidente da Sociedade de Anestesiologia do Estado do Espírito Santo

"Ele era muito atuante, dedicado e morreu trabalhando em prol da população. Faço o apelo: população, fique em casa. Médicos estão morrendo por Covid-19. Quer ajudar? Não precisamos de palmas, precisamos que fiquem em casa"

"DOIS MÉDICOS DE QUALIDADE"

Para Celso Murad, presidente do Conselho Regional de Medicina no Espírito Santo (CRM-ES), é preciso investimentos em equipamentos de qualidade para profissionais da saúde. 

"Os médicos já estão sujeitos à contaminação como cidadãos. Com o trabalho que exercem, essa exposição fica muito maior. É preciso Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) de qualidade. Um médico frequenta vários hospitais diferentes. Se houvesse condições de salário e trabalho para atuar em um ambiente só, ele estaria muito mais protegido. Agora começamos a lidar com um quantitativo de profissionais de saúde infectados muito grande", disse, lamentando as mortes dos médicos.

Celso Murad

Presidente do Conselho Regional de Medicina no Espírito Santo

"É muito trágico perder dois médicos de qualidade, que prestavam um  serviço inestimável e eram profissionais conceituados. Isso é muito ruim para nós, colegas, e também para a população"

ATENDIMENTO EXCLUSIVO

Procurada, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que os hospitais da rede, referenciados para Covid-19 possuem atendimento exclusivo voltado para os profissionais de saúde que atuam de forma direta e indireta nas unidades.

"Foram montados consultórios específicos para o atendimento. Criou-se uma política de notificação de todos os profissionais que apresentam qualquer sintoma de síndrome gripal, para avaliação e afastamento. Além disso, o profissional assintomático que seja contactante familiar, ou contactante próximo, de pessoa confirmada com o novo coronavírus também é afastado de suas atividades", disse, por nota.

A Sesa completou que os profissionais possuem protocolos rigorosos de uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs ), seguindo as recomendações das Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), e que todos os critérios de segurança são adotados em todos os hospitais.

De acordo com o Painel Covid-19 da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), ao todo, foram registrados 5.853 profissionais da saúde infectados até a última quarta-feira (17). Destes, 4.220 foram curados e 13 morreram - sendo dois de outros estados que estavam no Espírito Santo na data da morte.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.