Desnutrido e sem a mãe, filhote de veado é resgatado em Domingos Martins

O animal foi encontrado na região do Parque Estadual da Pedra Azul. O bichinho está sob os cuidados de veterinários do Instituto Estadual de Meio Ambiente do ES

Publicado em 11/02/2021 às 10h22
Veado
O bichinho foi resgatado nas imediações do Parque Estadual da Pedra Azul e recebe tratamento especial para se recuperar. Crédito: Divulgação/Governo do ES

Um filhote de veado resgatado na região do Parque Estadual Pedra Azul, em Domingos Martins, está sendo reabilitado no Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema). O animal está sob os cuidados dos profissionais do Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (Ipram), instituição que operacionaliza o Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (Cetras) do Iema, em Cariacica.

O filhote foi encontrado sozinho por um morador local, que entrou em contato com o parque pedindo ajuda. O veado foi, então, acolhido na Unidade de Conservação e cuidado pelos servidores até ser enviado para o Ipram. “Ele foi encontrado às margens de uma rodovia, já bem desnutrido. Recebemos o veadinho, cuidamos e o alimentamos, até leva-lo para o Ipram. É um prazer poder fazer essa diferença e cuidar do animal”, afirmou a servidora Tamires Mutz.

Veado
O veadinho foi resgatado ainda em janeiro e se recupera bem após os cuidados recebidos . Crédito: Divulgação/Governo do ES

O veado chegou aos cuidados do Ipram na segunda quinzena de janeiro. Por ser muito novo, seu tratamento se assemelha a um bebê humano. “Ele é bem novinho, ainda um bebê. Estimamos que chegou aqui com cerca de uma semana de vida. Por isso, no início mamava de três em três horas. Chegou aqui caquético, mas em dois dias, engordou 150 gramas. Agora, já quase dobrou de peso e mama a cada duas horas, até as 19 horas. No outro dia, iniciamos a alimentação às 8 horas”, explicou a médica veterinária Renata Hurtado, coordenadora de Medicina e Reabilitação do Ipram.

EVOLUÇÃO

Agora, mais adaptado na reabilitação, o animalzinho já está correndo e explorando plantinhas. “Por ser muito bebê, ainda vai mamar por um bom tempo. Mesmo quando começar a comer alimentos, vai precisar de mamadeira, mas em menor frequência”, esclareceu Renata Hurtado. Ela relatou ainda que não dá para saber exatamente a espécie, mas acredita que o filhote seja um veado catingueiro.

Quando reabilitado, dependo da evolução dele, será realizada a soltura e o animal poderá voltar para a natureza. “Depende de como ele vai evoluir aos nossos cuidados. Os veados passam muitos meses com as mães e, infelizmente, esse perdeu a dele, que provavelmente foi atropelada. Por isso, fazemos um apelo aos motoristas para trafegarem com cuidado e atenção aos animais silvestres nas rodovias”, pontuou a veterinária.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.