ASSINE

Criança espancada por madrasta em Linhares: "Papai do céu me curou"

Caso ocorreu em maio de 2021. Criança perdeu parte da visão e teve movimentos dos braços e pernas comprometidos após agressões praticadas pela madrasta, com consentimento do pai

Tempo de leitura: 3min
Colatina
Publicado em 29/06/2022 às 17h48

Mais de um ano se passou desde que uma menina de cinco anos deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Linhares, no Norte do Espírito Santo, com diversas lesões corporais graves, dois dentes quebrados e os olhos roxos. O fato ocorreu no dia 24 de maio de 2021 e os traumas, segundo investigações da Polícia Civil, foram causados por agressões praticadas pela madrasta, com consentimento do pai da criança. Atualmente com sete anos, a pequena ainda luta para se recuperar da violência vivida, que comprometeu a visão e os movimentos do corpo dela. Para preservar a criança, nenhum envolvido no caso será identificado.

A menina passou 36 dias na UTI de um hospital em Colatina respirando com ajuda de aparelhos e chegou a perder os movimentos das pernas e dos braços. Foi um período difícil, mas que ela lembra com fé. “Eu fui para o céu e Jesus mandou eu voltar, e eu voltei”, contou a pequena à repórter Rosi Bredofw, da TV Gazeta Norte.

Menina espancada por pai e madrasta luta para se recuperar
Menina espancada por pai e madrasta luta para se recuperar . Crédito: Raphael Verly

A cada 45 dias a menina vai para Minas Gerais e permanece lá por 15 dias, em tratamento intensivo com fisioterapeutas e psicólogos. Com ajuda da fisioterapia ela conseguiu voltar a andar e a movimentar os braços, mas ainda com dificuldade. 

Devido aos ferimentos no olho, a criança também perdeu parte da visão e é atendida por professores especializados na área de deficiência visual no tratamento realizado em Minas Gerais. Ela também conta com o apoio da mãe e do avô materno, com quem foi morar após as agressões. A menina diz que enxerga de uma maneira especial.

X.

Menina de 7 anos, vítima de espancamento

"Papai do céu curou meu olho e eu voltei a enxergar. Eu posso ver a cor do sol [..] Fico muito alegre, meu coração até fica pulando de alegria"
Menina espancada por pai e madrasta luta para se recuperar
Menina espancada por pai e madrasta luta para se recuperar . Crédito: Raphael Verly

Para a mãe, que acompanhou toda a luta da filha no período da internação e também durante o tratamento, a evolução e força de vontade da menina é o que move toda a família.

“Nunca vemos ela triste. Ela sempre está com um sorriso no rosto. Vemos que ela tem força de vontade. Tem muito ajuda médica também, mas o principal é a força dela. Para a fisioterapeuta, ela disse que queria ser o que ela era antes e brincar sozinha”, disse a mãe, emocionada.

Menina espancada por pai e madrasta luta para se recuperar
Menina espancada pela madrasta com conivência do pai luta para se recuperar . Crédito: Raphael Verly

PAI E MADRASTA CONTINUAM PRESOS

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) disse que o pai e a madrasta da criança continuam presos. O homem está no Centro de Detenção Provisória de Aracruz, e a mulher, no Centro Prisional Feminino de Colatina. A prisão dos dois foi decretada no dia 26 de maio de 2021. Após as investigações, a Polícia Civil concluiu que as agressões foram praticadas pela mulher, com a conivência do pai da menina. Eles foram indiciados por lesão corporal grave e tortura.

Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) foi procurado e informou que processos como este, envolvendo menor de idade, tramitam em segredo de justiça.

RELEMBRE O CASO

A menina tinha cinco anos quando deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Shell, em Linhares, com sinais de agressão física e sexual. Devido à gravidade das lesões, ela foi transferida para a UTI de um hospital em Colatina. O médico que atendeu a criança fez contato com o Conselho Tutelar, que chamou a Polícia Militar. A equipe médica relatou aos policiais sobre os sinais de violência.

Diante disso, o pai e a madrasta da menina foram conduzidos para a 16ª Delegacia Regional de Linhares. Em depoimento, o casal relatou que as lesões foram provocadas por um medicamento que ela teria feito uso. No entanto, um médico legista da Polícia Civil confirmou a agressão contra a criança e descartou que a menina tenha sofrido abuso sexual. O homem e a mulher foram presos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Linhares Polícia Civil Violência Crianças Infância Maus tratos

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.