ASSINE

Covid pode causar lesões nos testículos e afetar vida sexual de homens

Estudos indicam que o coronavírus afeta os testículos sem causar sintomas na área, o que dificulta a procura por ajuda. Entenda

coronavírus pode causar lesões na área dos testículos e diminuir a testosterona em homens, causando complicações na vida sexual e reprodutiva. É o que apontam vários estudos publicados recentemente, que mostram ainda que a ação do vírus no órgão costuma ser indolor e que os sintomas incluem cansaço e insônia, o que confunde e atrasa o diagnóstico.

Os estudos realizados indicam ainda que as lesões acometem pacientes de todas as faixas etárias, com grau de comprometimento testicular que varia de 50%, em casos moderados, até 85%, nos graves. Para os homens que planejam ter filhos, especialistas já recomendam o acompanhamento profissional após a infecção.

Homem segurando os testículos: órgão pode ser afetado pela Covid-19
Homem segurando os testículos: órgão pode ser afetado pela Covid-19. Crédito: Pixabay

O coordenador de pesquisas avançadas da USP e professor da faculdade de Medicina da instituição, Jorge Hallak, explica que o testículo é uma porta de entrada para o coronavírus, assim como o pulmão, sendo o segundo órgão mais afetado pelo vírus. 

Este vídeo pode te interessar

A ação do vírus no testículo costuma não causar dor ou mudança na aparência. Os sintomas como cansaço, insônia, falta de energia e falta de líbido podem indicar a alteração, mas acabam sendo confundidos com outras questões do coronavírus.

Jorge Hallak

Professor e coordenador de pesquisas avançadas da USP

"Tenho pacientes que vão no psiquiatra depois da Covid-19 e tomam antidepressivos, acham que estão com depressão. Ou vão ao nutrólogo, ao endocrinologista, no médico do esporte, e lá eles receitam testosterona, e não é o caso. Tem que esperar recuperação natural. Não dá pra colocar mais hormônio porque vai inibir mais ainda a recuperação, isso é muito sério"

Como a doença ainda é nova, não é possível dizer se os problemas podem ser permanentes, mas Hallak afirma que a recuperação não ocorre tão rapidamente. “A gente imagina que [leve] no mínimo de 8 a 12 meses para poder normalizar ou naturalmente ou com a gente tentando, de alguma maneira, fazer esse testículo melhorar um pouco a função”.

E PARA TER FILHOS?

Para os pacientes que tiveram Covid-19 e planejam ter filhos, a orientação do médico urologista e andrologista José Augusto Ribeiro Almeida é de que se aguarde três meses, para casos leves, e seis meses, para graves. Além disso, é indicado que esses homens façam acompanhamento profissional.

“Especialmente se foram casos mais graves, o ideal é já procurar um urologista ou andrologista para investigar a vida reprodutiva dele, porque pode ter alguma alteração”. Entre os exames indicados estão o espermograma, o ultrassom testicular e o de fragmentação do DNA espermático.

O professor Hallak reforça o período de pelo menos três meses após a infecção e recomenda que todos os homens façam acompanhamento com profissionais da urologia e andrologia, principalmente os que pretendem realizar a reprodução assistida.

“Nós fizemos análise do sêmen do ejaculado e não vimos PCR positivo nas amostras, então eu acho improvável que seja transmitido por via sexual, mas eu não acho improvável que o espermatozóide colhido em laboratório de sêmen de má qualidade possa ter o vírus, por exemplo”.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.