ASSINE

"Coruja-orelhuda" é resgatada após ser atropelada em Vila Velha

A ave foi encontrada dentro de uma casa no bairro Barra do Jucu após ser atingida por um carro. Animal foi recolhido por agentes da prefeitura e está se recuperando

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 07/05/2021 às 15h51
Coruja-orelhuda foi resgatada após ser atropelada na Barra do Jucu
Coruja-orelhuda foi resgatada após ser atropelada na Barra do Jucu. Crédito: Divulgação/PMVV

Uma "coruja-orelhuda", que pertence à espécie Asio clamator, foi resgatada por agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vila Velha nesta sexta-feira (7). Segundo a prefeitura, o animal foi atropelado por um veículo na altura do bairro Barra do Jucu, mas está se recuperando bem.

A coruja-orelhuda, também conhecida como coruja-gato, é um animal caçador de pasto aberto e está presente em várias regiões de todo o mundo, conforme informado no site da Prefeitura de Vila Velha. A espécie habita em florestas com prados extensos, bosques de coníferas ou árvores de folha caduca e bosques ribeirinhos no deserto. Sua alimentação consiste em pequenos mamíferos e roedores.

O coordenador de Bem Estar Animal da secretaria, Celso Christo, afirmou que acidentes que envolvam animais silvestres, como a coruja-orelhuda, são muito comuns. Ele relembrou que a recomendação é não encostar no animal, por conta do risco de machucá-lo ou de haver transmissão de doenças. 

Coruja-orelhuda foi resgatada após ser atropelada na Barra do Jucu
Coruja-orelhuda foi resgatada após ser atropelada na Barra do Jucu. Crédito: Divulgação/PMVV

“É importante que as pessoas, ao identificarem algum animal silvestre, não façam a manipulação do mesmo, até pelo risco de acidente ou transmissão de doenças. É preciso acionar a Ouvidoria pelo 162 ou via internet”, disse.

O coordenador explicando ainda que, após a abertura do atendimento feita pela Ouvidoria, um profissional do Bem-Estar Animal faz o resgate e encaminha o animal para algum centro de triagem do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) ou do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

SEGUNDO RESGATE DE CORUJAS NO ES NESTA SEMANA

Nesta semana, uma coruja mocho-diabo ou coruja-diabo foi resgatada em Virada, zona rural de Santa Maria de Jetibá, região Serrana do Espírito Santo. O animal foi encontrado na quarta-feira (5) por um morador da região dentro de uma casa e recolhido pela Polícia Militar Ambiental.

Esta espécie de coruja, cujo nome científico é Asio stygius, também é conhecida por nomes peculiares: coruja "mocho-diabo" ou "coruja-diabo". Segundo o biólogo Daniel Motta, as nomenclaturas atribuídas ao animal vêm de sua aparência.

Coruja 'mocho-diabo' é resgatada pela Polícia Ambiental no interior do ES
Coruja mocho-diabo foi resgatada nesta quarta-feira no interior do ES. Crédito: Divulgação/PMES

"Seu nome científico vem do latim asio, tipo de coruja orelhuda, e stygius, ou seja, infernal. O nome mocho-diabo é devido ao seu corpo escuro, as suas duas penugens em formato de 'orelhas' parecendo chifres, e aos seus olhos, que ficam vermelhos quando direcionam luz a eles", explicou.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.