ASSINE

"Capixabas cansaram do isolamento, mas risco é enorme", alerta médico do ES

O infectologista Lauro Ferreira Pinto alerta que doença não é mortal apenas em idosos com comorbidades, mas que, no Estado,  jovens também estão morrendo

Publicado em 28/06/2020 às 17h22
Atualizado em 28/06/2020 às 20h24
Médico infectologista Lauro Ferreira Pinto fala sobre o novo coronavírus no Espírito Santo
Médico infectologista Lauro Ferreira Pinto fala sobre o novo coronavírus no Espírito Santo. Crédito: FRED LOUREIRO/SECOM-ES - arquivo

Após a conclusão da quarta fase do Inquérito Sorológico no Estado, em que foi constatado que o ritmo de crescimento da pandemia do novo coronavírus no Espírito Santo apresentou queda, com taxa de transmissão de 1.3, três décimos a menos que na etapa anterior da pesquisa, o médico infectologista Lauro Ferreira Pinto afirmou que medidas de distanciamento social continuam necessárias e que riscos com o relaxamento são "enormes".

De acordo com o especialista, a população cansou do isolamento social. "No início, as pessoas faziam lives de música nas sacadas, agora estão simplesmente exaustas e querendo ir para a rua, querendo ir de forma atabalhoada, expondo-se ao vírus que está aí, causando mortes", afirmou.

Lauro Ferreira Pinto

Infectologista

"Os capixabas precisam estar conscientes de que esta é uma doença banal na imensa maioria das vezes, comportando-se como uma gripe. Mas, em algumas pessoas, por razões que não sabemos, como genéticas ou de suscetibilidades e imunidades diferentes, pode ser mortal"

Segundo ele, uma das preocupações que devem estar presentes é a de que a doença não é mortal apenas em casos de pessoas idosas com comorbidades, mas que, no Brasil, e mesmo no Espírito Santo, foram notificados jovens que têm morrido de Covid-19. "O mais prudente é manter as medidas de proteção individual, uso de máscara e evitar ficar próximo menos de um metro com pessoas que não convivem no mesmo ambiente", recomendou.

TESTES PODEM APRESENTAR ERROS

Ainda segundo o especialista, os testes utilizados durante o Inquérito Sorológico do governo do Estado podem apresentar defeitos. "O inquérito aqui é feito com teste rápido, sendo o mesmo usado em Pelotas e outras localidades. Não dá para dizer com muita segurança que o percentual apresentado como sendo de pessoas expostas ao vírus é preciso, porque é um teste rápido que tem defeitos. Existem exames sorológicos melhores, como o de quimioluminescência, que não estava disponível quando o Estado começou a fazer o estudo", explicou.

Águia Branca, cidade com maior índice de isolamento social do ES
Águia Branca, cidade com maior índice de isolamento social do ES. Crédito: TV Gazeta Noroeste / Reprodução

POSSIBILIDADE DE IMUNIDADE CRUZADA

O infectologista afirmou que os estudos realizados para aferir exposição ao coronavírus partem do princípio de que toda população é suscetível ao vírus em si. "Hoje em dia temos dúvidas disso, porque existem pelo menos quatro coronavírus que já circulam entre a gente, que causam resfriado comum e que podem dar algum grau de imunidade cruzada. Eu digo isso porque, por exemplo, Manaus despencou em casos, melhorou muito. E chegou a ter um colapso de serviço de saúde e, no entanto, teve controle sem ter 40% ou 50% da população exposta."

Até haver uma vacina disponível, o médico diz que é prudente que as pessoas continuem com medidas que evitem o contágio pelo coronavírus.

"E não é isso que está acontecendo. E ninguém tem a resposta sobre qual o nível de população exposta é necessário para prevenir a segunda onda. As pessoas estão sem máscara, próximas umas das outras e então nós estamos vivendo uma exposição muito alta, com muitos doentes e muitos óbitos", finalizou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 Pandemia Isolamento social

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.