ASSINE

Capixaba faz cerveja caseira e ganha prêmio internacional no México

André Mendes Piol começou a elaborar as bebidas em 2014 e está prestes a abrir uma cervejaria em Ibiraçu; premiação no Aro Rojo ocorreu em junho deste ano

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 04/08/2022 às 18h10
À esquerda, o capixaba André Mendes Piol; à direita, a cerveja Bella, que ganhou medalha de ouro em prêmio internacional
À esquerda, o capixaba André Mendes Piol; à direita, a cerveja Bella, que ganhou medalha de ouro em prêmio internacional. Crédito: Acervo pessoal | Montagem A Gazeta

Depois de uma viagem aos Estados Unidos, o engenheiro químico André Mendes Piol voltou inspirado e decidido a usar os conhecimentos adquiridos na faculdade para um novo caminho profissional: fazer cerveja e, quem sabe, viver da produção da bebida. De lá para cá, o sonho do capixaba parece estar sempre mais próximo de se realizar.

As produções começaram em 2014, na própria casa da família, na cidade de Ibiraçu, no Norte do Espírito Santo. O pai – José Francisco Piol, descrito pelo filho como um "professor pardal" em referência ao personagem da Disney famoso pelas invenções – embarcou na aventura e montou os aparatos necessários.

"Minha profissão acabou ajudando, mas tive que ler vários livros. Meu pai comprou minha ideia (de fazer cerveja) e desenvolveu os equipamentos, tudo aqui em casa mesmo. No começo, foi tentativa e erro. Um verdadeiro processo de aprendizado", lembra André, sobre o início da I Lupi Cervejaria.

André Mendes Piol

Engenheiro químico

"Uma produção caseira leva entre 6h e 7h de trabalho, que termina com a cerveja sendo colocada para fermentar por uns 15 dias. Depois, ela vai para a fase de maturação e envase"

Entre erros e acertos, a produção familiar progrediu ao longo dos últimos anos e passou a ser reconhecida por apreciadores e especialistas. "Nosso primeiro prêmio foi em um concurso estadual capixaba, no qual recebemos uma medalha de bronze com uma IPA. Isso foi em 2018, se não me engano", conta.

Recentemente, em junho deste ano, veio o lugar mais alto do pódio no Aro Rojo, um concurso internacional realizado no México. Na categoria de cervejas caseiras, a Bella ganhou como a melhor – que já havia sido premiada com medalha de ouro no primeiro Concurso Latino de Cervejas Lupuladas, quatro meses antes.

André Mendes Piol

Engenheiro químico

"A Bella é bem especial. Nós colocamos cachaça em um barril de castanheira, depois retiramos e inserimos a cerveja para pegar esse sabor. É uma cerveja de guarda, que leva uns quatro ou cinco meses para ficar pronta"

A avaliação positiva dos juízes – que fizeram a prova da bebida às cegas – serviu de motivação para o capixaba que, agora, planeja abrir uma cervejaria para comercializar as garrafas. "Foi muito gratificante, porque mostrou que estamos no caminho certo e que podemos ter sucesso", diz André.

Atualmente, só familiares e amigos conseguem provar a bebida. "A expectativa é que a cervejaria fique pronta até o final do ano e que a produção seja vendida em um barzinho na parte da frente", adianta o engenheiro. O estabelecimento ficará no Centro de Ibiraçu. "É um projeto de vida", conclui.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Ibiraçu capixaba Cerveja México

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.