ASSINE

Produtores do ES terão ajuda para recuperar 161 mil hectares de área

Fazendas têm sido mapeadas e receberão apoio para fazer a recuperação de forma lucrativa

Tempo de leitura: 4min
Vitória
Publicado em 09/06/2022 às 13h00
Abertura da TecnoAgro
Mário Louzada, da Seaf; Fabrício Zanzarini e Leonardo Monteiro, do Idaf; Lazaro Raslan, do Incaper, e Júlio Rocha, da Faes, no lançamento do Pravaler durante o TecnoAgro 2022, em Linhares. Crédito: Fernando Madeira

Produtores rurais do Espírito Santo receberão apoio para obterem a regularização ambiental das suas propriedades. Isso será feito por meio do Pravaler (Programa  de Regularização Ambiental Produtiva), lançado nacionalmente em  2021 pela Embrapa e pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA), e que agora chega ao Estado.

O lançamento estadual da iniciativa foi feito nesta quinta-feira (9) no TecnoAgro 2022, que debate o agronegócio no Espírito Santo. O evento é realizado pela Rede Gazeta e ocorre até a sexta-feira  (10). Confira a programação completa aqui.

São pelo menos 161 mil hectares de áreas em 55 mil propriedades rurais do Espírito Santo que precisam ser recuperados, segundo mapeamento que vem sendo feito pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) para cadastro das unidades no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Ao todo, 75% propriedades rurais capixabas já estão cadastradas pelo Idaf e as demais devem ser nos próximos anos. Com o  CAR validado, as fazendas poderão fazer a recuperação das áreas apontadas pelo programa.

Do total já mapeado para recuperação, 81 mil hectares se referem a Áreas de Proteção Permanente (APPs), como entornos de rios e de nascentes. A meta é recuperar essas áreas em 20 anos, como prevê o Código Florestal. 

Murilo Pedroni, coordenador-técnico do Senar-ES, explicou que o objetivo é fazer uma regularização ambiental produtiva, ou seja, a "ajudar o produtor ter acesso à regularidade, mas fazendo com as áreas destinadas a isso sejam passiveis de lucratividade".

"Quando as ações de recomposição de APPs e Reserva Legal forem aplicadas na propriedade, o produtor terá uma chance mínima de errar tendo essa ajuda, e vai fazer isso de forma lucrativa", detalhou.

ÁREAS PILOTO

Foram definidas áreas piloto para a implantação do programa, uma na região Norte e outra no Sul do Espírito Santo. Nesses locais serão feitas pesquisas e testes das primeiras ações. São elas:

  • Área Norte: Jaguaré e São Mateus
  • Área Sul: Cachoeiro de Itapemirim, Jerônimo Monteiro, Atílio Vivácqua, Muqui e Rio Novo do Sul

De acordo com Leonardo Monteiro, que é diretor-presidente do Idaf, e ideia é expandir essa atuação. "A medida que for crescendo nesses municípios, vamos levar para todo o Estado para recuperar essas áreas com passivo ambiental".

Abertura da TecnoAgro
Leonardo Monteiro, diretor-presidente do Idaf. Crédito: Fernando Madeira

A partir de mapeados os locais, Incaper e Idaf darão apoio aos produtores, orientando e capacitando sobre quais as melhores culturas a serem implementadas tendo em vista a localização e topografia dos locais, e que sejam também rentáveis, explica Monteiro:

Leonardo Monteiro

Diretor-presidente do Idaf

"Com essas propriedades regularizando seus passivos ambientais, quem ganha com isso é a sociedade, porque os biomas serão recuperados; além do próprio produtor, que vai ganhar porque vai poder colocar culturas que vão lhe dar rendimento na propriedade, com novas técnicas de produção"

Segundo Fabrício Zanzarini, gerente de Licenciamento e Controle Florestal do Idaf, o trabalho agora será desenvolver e integrar os sistemas para permitir essa regularização, regulamentar procedimentos, e prestar esse apoio de forma a agregar valor econômico à recuperação.

Além do conhecimento técnico, um dos objetivos do programa é atuar para facilitar a obtenção de crédito para tirar do papel essas ações nas propriedades. 

As etapas principais do Pravaler são:

  1. Definição de áreas pilotos para servir de espelho - feita
  2. Identificação dos passivos ambientais nas propriedades - em andamento
  3. Elaboração dos projetos de recuperação
  4. Monitoramento
  5. Incentivos para regularização ambiental

PROGRAMA NASCEU A PARTIR DE EXPERIÊNCIA PIONEIRA EM LINHARES

O secretário de Estado de Agricultura, Mário Louzada, lembrou durante o TecnoAgro que o Pravaler foi criado nacionalmente a partir de uma experiência pioneira obtida em Linhares no Projeto Biomas, que serve como base do projeto.

Abertura da TecnoAgro
Mário Louzada, secretário da Seag. Crédito: Fernando Madeira

Com o Biomas, foram recuperados 32 hectares de áreas em uma fazenda do município de Linhares, disse o presidente da Federaçãoo da Agricultura do Espírito Santo (Faes), Júlio Rocha:

"Nove anos atrás, com parceria com Incaper, foi ajustado aqui em Linhares o projeto Biomas, que poderia ter sido implantado em outro Estado, mas foi feito aqui. Agora temos o Espírito Santo sendo novamente selecionado para um projeto do tipo, ainda maior, com robusto apoio do governo do Estado, e que é um programa nacional que vem como fruto do que foi feito aqui." 

Murilo Pedroni, do Senar, enfatizou que tudo será construído seguindo critérios técnicos e científicos, com parceria de universidades, e com base legal, dando segurança jurídica aos produtores.

Este vídeo pode te interessar

"Assim vamos sair de um cenário de propriedades com passivos ambientais, danos ambientais para sociedade, para um cenário de resultados econômicos e sociais positivos com projetos de recuperação ambiental produtiva, sendo implementados com segurança jurídica", frisou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Agronegócio Meio Ambiente IDAF Atitude Sustentável Agricultura Capixaba Tecnoagro

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.