ASSINE

Que tal um passeio por Matilde, a capital do turismo de aventura do ES?

Entre os lugares que merecem uma conferida, está a histórica Estação Ferroviária, as belezas da Cachoeira Engenheiro Reeve e o arrepiante túnel do Rio Benevente

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 09/10/2021 às 08h01

Que tal um passeio por Matilde, a capital do turismo de aventura do ES?

Que tal dar um rolê pela capital do turismo de aventura do Espírito Santo? Sim, esse lugar existe e não está muito longe de Vitória, mais precisamente a 83,5km da capital, cerca de uma hora de "viagem". Sejam bem-vindos a Alfredo Chaves

Entre os distritos "aventurescos" da cidade está Matilde, uma localidade charmosa, de belas paisagens, pousadas e (bons) restaurantes. Claro, é impossível passar por lá e não dar uma conferida básica na histórica Estação Ferroviária de Matilde, fundada em 1910 e que hoje abriga um espaço cultural. E os trilhos dessa estação guardam muitas curiosidades e nostálgicas histórias.

"A entrada e saída do distrito era pela estação ferroviária, então a gente tinha por aqui um comércio e uma agência dos Correios. Com o tempo, fomos transformando a beleza da estação em um lugar histórico e de cultura, que guarda a memória da cidade", garante Giovana Camilette, moradora da localidade.

Ah, sim: se tem um "cantinho" que resume a infância, adolescência e boa parte da vida de Giovana (e de quase todo morador alfredense) é o famoso Túnel de Matilde, distante 400 metros da Estação Ferroviária. É possível chegar ao local pelas linhas férreas. São só 2km de caminhada.

Túnel de Matilde, em Alfredo Chaves
Túnel de Matilde, em Alfredo Chaves: local de aventuras pra lá de radicais. Crédito: Divulgação/Prefeitura de Alfredo Chaves

A passagem é digna de um filme de horror. Escura, molhada e com alguns "moradores especiais" (insetos mesmo),  a viela é um espaço artificial, com uma escadaria de pedras (composta por 65 degraus) onde corre um trecho do Rio Benevente. Na verdade, rio, túnel e trilhos da estação tem uma curiosa história de ligação.

Giovana nos explica melhor. "Na época, precisavam viabilizar uma passagem para o trem. Então, o túnel foi construído para que o Rio Benevente pudesse 'passar' por dentro, fazendo com que a estrada de ferro ficasse liberada", detalha a moradora.

Descer os degraus do Túnel de Matilde é para quem gosta de aventura radical. É preciso ter equilíbrio, pois as escadarias são escorregadias por conta da força da água. Uma dica aos aventureiros de plantão: leve uma lanterna, pois o local é uma escuridão só! De bônus, você ainda vai encontrar alguns morcegos que "moram" nas paredes da construção. E como morcegos odeiam luz...

Data: 16/10/2015 - ES - Alfredo Chaves - Cachoeira Engenheiro Reeve, em Matilde em 2012 - Editoria: Cidades - Foto: Fernando Madeira - GZ
Cachoeira Engenheiro Reeve, em Matilde, uma das belezas de Alfredo Chaves. Crédito: Fernando Madeira

MAIS ADRENALINA

Logo na entrada do famoso distrito, ao lado da Rodovia ES-383, está localizado um belíssimo mirante que dá acesso à Cachoeira de Matilde. No local, cliques para o Instagram estão garantidos!

Ao descer uma extensa escadaria, chegamos à estonteante Cachoeira Engenheiro Reeve, que possui esse nome por conta de uma homenagem ao profissional que construiu a estrada de ferro que passa pela cidade. 

A queda-d'água conta com 70m de véu, sendo uma das maiores do ES. O banho não é permitido, mas o lugar possui um mirante para contemplar a beleza da natureza.

*Com informações de Luanna Esteves, do "Em Movimento"

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.