ASSINE

4 restaurantes de comida caipira para visitar nas montanhas do ES

Um roteiro de almoço bom e barato em Pedra Azul e Venda Nova com quitutes da roça, fogão a lenha, natureza e muita história

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 13/08/2021 às 16h18
Comida caipira feita no fogão a lenha do restaurante Grão da Terra, em Pedra Azul
Feijoada, macarrão e tutu são opções no restaurante Grão da Terra, em Pedra Azul. Crédito: Igor Santos

Nas montanhas capixabas, o roteiro gastronômico ao redor da Pedra Azul tem opções para todos os gostos e bolsos. Além dos charmosos restaurantes de cozinha autoral que dão fama à região, é possível encontrar ali bons endereços com almoço mais em conta, dedicados à autêntica comida caipira brasileira com influência da imigração europeia.

Em busca de dicas para o seu fim de semana, percorremos a Rota do Carmo e o Caminho das Flores, em Pedra Azul, e também Venda Nova, indo até a localidade de Alto Providência. O resultado dessa viagem saborosa, você poderá conferir nas quatro sugestões a seguir.    

ALMOÇO EM FAMÍLIA NA ROÇA

No entorno da Pedra Azul, o Grão da Terra é um refúgio para quem aprecia não só uma boa comida da roça como também curte o contato com a natureza. Nos fundos do restaurante há uma pequena floresta, por onde passa uma trilha sinalizada, de 300 metros, que virou atração no local.  

O cantinho mais disputado tem mesas ao ar livre, sob ipês-amarelos, e vista para um pomar. O salão principal, com fachada de pau-a-pique, lembra um paiol. Nele está o fogão a lenha, onde são dispostas as panelas de barro e travessas com mais de 40 opções para a refeição (R$ 45 por pessoa/adulto e R$ 23/criança de até 12 anos).     

Grão da Terra

Comida caipira feita no fogão a lenha do restaurante Grão da Terra, em Pedra Azul
A comida ao estilo caipira é preparada em fogão a lenha . Igor Santos
Mesas na área externa do restaurante Grão da Terra, em Pedra Azul
O espaço com mesas ao ar livre é o mais disputado. Igor Santos
Trilha para a mata no restaurante Grão da Terra, em Pedra Azul
Um dos atrativos é a trilha pela mata, nos fundos do restaurante. Igor Santos
Um dos atrativos é a trilha pela mata, nos fundos do restaurante
Um dos atrativos é a trilha pela mata, nos fundos do restaurante
Um dos atrativos é a trilha pela mata, nos fundos do restaurante

Feijoada, polenta frita, linguicinha e o típico macarrão italiano caseiro são destaques, além da galinhada, servida aos domingos. O restaurante existe há quatro anos e há três meses é comandado pelo casal Arcilé e Rosilaine Reis. "Cozinhamos como se estivéssemos preparando um almoço na roça para nossa família, e os clientes sentem isso ao vir aqui", conta Arcilé. 

COMIDA CAIPIRA RAIZ

Um pássaro famoso em Pedra Azul dá nome a um elogiado restaurante de comida caipira na Rota do Carmo, o Ninho do Jacu. Além da ave, que volta e meia aparece por lá, os visitantes também podem avistar outros animais nativos, em meio à rica vegetação da propriedade do casal Keylla Modolo e Angelo Ramos. 

Refeição à la carte do restaurante Ninho do Jacu, em Pedra Azul
A refeição à la carte é uma das opções do restaurante, que também tem bufê livre  . Crédito: Ninho do Jacu/Instagram

Criado há nove anos, o restaurante hoje trabalha com duas modalidades de cardápio: bufê livre a R$ 56 por pessoa, para servir-se à vontade nas panelas do fogão a lenha, e refeições à la carte, que custam de R$ 90 a R$ 160 e servem duas ou quatro pessoas. Nessa modalidade, que já inclui sobremesa, a comida vai para a mesa em panelas de pedra.   

"Nossa comida é a caipira raiz, e resgata muito do que a gente comia na roça quando criança", explica Keylla, criadora de quitutes como o bolinho de polenta recheado com queijo e taioba (R$ 23 a porção, à la carte). A galinha caipira, a carne de porco na lata, a rabada, a linguiça caseira de pernil e o bolinho de feijoada estão entre os queridinhos do almoço.  

Ninho do Jacu

Fogão a lenha do restaurante Ninho do Jacu, em Pedra Azul
Os pratos são preparados no fogão a lenha . Ninho do Jacu/Divulgação
Parte do ambiente interno do restaurante Ninho do Jacu, em Pedra Azul
Parte do salão principal. Ninho do Jacu/Instagram
Pássaro jacu na propriedade onde funciona o restaurante Ninho do Jacu, em Pedra Azul
Na propriedade onde fica o restaurante é possível avistar animais, como o pássaro jacu. Ninho do Jacu/Instagram
Na propriedade onde fica o restaurante é possível avistar animais, como o pássaro jacu
Na propriedade onde fica o restaurante é possível avistar animais, como o pássaro jacu
Na propriedade onde fica o restaurante é possível avistar animais, como o pássaro jacu

Para adoçar, uma pedida são as compotas artesanais de frutas (em especial a de goiaba), também disponíveis para venda na lojinha do local. Lá é possível comprar outros produtos caseiros, como doce de leite, geleias e doces cristalizados, artesanato e um café 100% arábica de produção e torrefação próprias.

COZINHA TRADICIONAL DE IMIGRANTES

Um casarão de 1904 todo em madeira, com varanda e ampla área verde, abriga o restaurante Nossa Vida, dedicado às raízes culinárias dos imigrantes em Venda Nova. Além da expressiva influência italiana, a portuguesa também marca presença no menu. No bufê self-service, a refeição custa R$ 59,90/kg, de terça a sexta, e R$ 69,90/kg aos sábados, domingos e feriados. 

A polenta com carne de porco confitada na banha é a protagonista entre opções como escondidinho de banana-da-terra com carne-seca, bacalhau à Zé-do-Pipo, canelone de puína e alho-poró, massas artesanais, polenta brustolada e croquete de polenta recheado com queijo. 

Prato com polenta, talharim caseiro, molho bolonhesa, filé de sobrecoxa assada, queijo minas e linguiça criado para a Festa da Polenta pelo restaurante Nossa Vida, em Venda Nova
Prato típico da Festa da Polenta é atração no bufê de fim de semana. Crédito: Marcio Auriema

O chef da casa, Renato Santos, criou um prato em homenagem às comidas típicas da Festa da Polenta: linguiça, polenta cremosa, filé de sobrecoxa assada, queijo minas, talharim caseiro e molho bolonhesa. Os quitutes ficam disponíveis no bufê de fim de semana para o cliente montar, como na foto acima. 

Nossa Vida

Restaurante Nossa Vida, em Venda Nova do Imigrante
O restaurante funciona em um casarão antigo. Nossa Vida/Divulgação
Parte do bufê com pratos servidos no restaurante Nossa Vida, em Venda Nova do Imigrante
Os pratos revisitam a cozinha tradicional dos imigrantes italianos . Nossa Vida/Divulgação
Restaurante Nossa Vida, em Venda Nova do Imigrante
O espaço é amplo e há mesas também na varanda do segundo andar. Nossa Vida/Divulgação
Restaurante Nossa Vida, em Venda Nova do Imigrante
Detalhes da decoração, em estilo rústico. Nossa Vida/Divulgação
Detalhes da decoração, em estilo rústico
Detalhes da decoração, em estilo rústico
Detalhes da decoração, em estilo rústico
Detalhes da decoração, em estilo rústico

O Nossa Vida foi inaugurado há três anos e pertence à família Falquetto, uma das mais tradicionais da cidade. Em quase 100% das receitas são utilizados ingredientes regionais, e alguns são cultivados na propriedade - palmito pupunha e hortaliças, por exemplo.  

FOGÃO A LENHA NA FAZENDA

Fundado há mais de duas décadas pela família Caliman, o restaurante da Fazenda Saúde, também em Venda Nova, mantém sua essência ítalo-caipira com o cardápio praticamente inalterado desde a abertura. As novidades dizem respeito à polenta, grande estrela do bufê, que é livre e custa R$ 42 por adulto e R$ 13 por criança de três a nove anos. 

Comida caipira no fogão a lenha do restaurante da Fazenda Saúde, em Venda Nova do Imigrante
A comida ítalo-caipira é servida no mesmo fogão a lenha há mais de 20 anos. Crédito: Gabriel Lordello

À frente da cozinha está Beth, filha da nonna Marta Caliman, já falecida. "Agora servimos polenta na chapa também com quiabo e com jiló, e um dos nossos panelões tem polenta cremosa com taioba", avisa, antes de contar um segredinho sobre a receita mais famosa de Venda Nova. "Quanto mais você cozinha a polenta, melhor ela fica. A nossa começa a ser feita às 9h da manhã, e o cozimento é sempre de, no mínimo, duas horas". 

Outro trunfo da casa é a linguiça caramelizada, que faz companhia a delícias como frango frito, feijão tropeiro, farofa, costelinha de porco confitada, macarrão caseiro, moela ensopada, fígado acebolado e molhos de frango e de carne moída. 

ENDEREÇOS E HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO:

  • FAZENDA SAÚDE - Sábado, das 12h às 15h. Domingo e feriados nacionais, das 11h às 15h. BR-262, Km 98, Alto Providência, Venda Nova do Imigrante. (28) 3546-1528. 
  • GRÃO DA TERRA RESTAURANTE - De sexta a domingo, das 11h às 16h. Rodovia Geraldo Sartório (ES-164), Km 6, São Paulinho do Aracê/Pedra Azul, Domingos Martins. (27) 99781-3851 e 99850-0969. Pet friendly.
  • RESTAURANTE NINHO DO JACU - Sábado, domingo e feriados, das 11h às 15h. Rota do Carmo, Km 6, Pedra Azul, Domingos Martins. (27) 99784-1443.
  • RESTAURANTE NOSSA VIDA - De terça a sexta, das 11h às 14h. Sábado, domingo e feriados, das 11h às 15h. Av. Prefeito Nicolau Falchetto, 2850, Bananeiras, Venda Nova do Imigrante. (28) 99944-0268. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.