ASSINE

Anitta recebe apoio do movimento MeToo após revelar que foi estuprada na adolescência

Revelação foi feita pela cantora em série lançada nesta quarta-feira (16)

Publicado em 17/12/2020 às 09h51
Atualizado em 17/12/2020 às 09h51
Cenas da série Anitta: Made In Honório da Netflix
Cenas da série Anitta: Made In Honório da Netflix. Crédito: Netflix

O movimento MeToo Brasil, que acolhe vítimas de violência sexual, divulgou nesta quarta-feira (16) uma nota em apoio a Anitta, 27. A cantora revelou na série documental "Anitta: Made in Honório" ter sido vítima de estupro quando era adolescente.

"Sabemos o quanto é doloroso relembrar um episódio de abuso sexual, principalmente quando corrido em uma fase tão importante do desenvolvimento quanto a adolescência", diz o texto. "Por isso, o MeToo Brasil reitera a importância da coragem da cantora, que serve de exemplo a todas e todos que passaram por situações semelhantes a procurarem ajuda e a denunciarem, mesmo que o crime já esteja prescrito."

A entidade também afirma que o relato da cantora é semelhante ao de diversas vítimas que usam seus canais de atendimento. "O depoimento de Anitta evidencia uma característica do abuso sexual no Brasil, onde a maioria das vítimas são menores de idade e muitos dos agressores são da família ou próximos", afirma o comunicado.

"A força da cantora ao fazer seu relato mostra a dificuldade enfrentada pelas vítimas, que muitas vezes não têm meios e nem recebem acolhimento", finaliza a entidade. "O MeToo Brasil e toda sua rede de apoio estendem a mão à Anitta e a todas as mulheres que sofreram algum tipo de abuso. Vocês não estão sozinhas!"

Lançada nesta quarta pela Netflix, a nova produção nada tem a ver com a primeira série da cantora na plataforma de streamming, "Vai Anitta" (2018). Em seis episódios, ele mostra a relação da cantora com a família, as pressões da carreira, sua fragilidade diante das dificuldades e, principalmente, a pessoa por trás da artista.

A revelação do estupro acontece em um momento do episódio em que seu assessor, Paulo Pimenta, fala sobre a solidão de um artista, e sua mãe fala das vezes em que viu Anitta triste. O irmão, Renan Machado, também comenta que a cantora revelou o ocorrido à família há pouco tempo.

"Ela chamou eu, meu pai e minha mãe para conversar e pediu que a gente nem olhasse pra ela,. só escutasse, porque ela estava começando a se boicotar. Não comer, não estar feliz e criar defesas dentro dela para suportar esse segredo, então ela resolveu colocar isso pra fora e nos contar."

Anitta conta na série que tinha 14 para 15 anos quando conheceu uma pessoa, com quem acabou desenvolvendo uma relação abusiva. Em uma ocasião em que ele estava nervoso, ela teria perguntado se ele queria ir pra um lugar só nós dois, onde teria ocorrido o abuso.

"Eu percebi que não era certo fazer aquilo por medo nem nada e falei que não queria mais. Mas ele não ouviu. Ela não falou nada, só seguiu fazendo o que queria fazer. Quando ele acabou, saiu, foi abrir uma cerveja e eu fiquei olhando para a cama cheia de sangue", relata ela.

"Eu sempre tive medo do que as pessoas iam falar. Como ela pode ter sofrido isso e hoje ser tão sensual, aberta a fazer tanta coisa? Eu não sei. Só sei que eu peguei isso que eu vivi e transformei numa coisa pra me fazer sair por cima, me fazer sair maior."

LEIA A ÍNTEGRA DO COMUNICADO

"O MeToo Brasil vem a público expressar solidariedade e apoio à cantora Anitta, que revelou em sua série, produzida pela Netflix, um estupro que sofreu aos 14 anos de idade. Em seu relato, a cantora traz uma narrativa encontrada em diversos relatos de vítimas que usam os canais do MeToo em todo o mundo: uma situação de constrangimento, abuso psicológico e culpa. O que mostra que a cultura do abuso atua em inúmeras frentes. Por isso, o MeToo Brasil acolhe as vítimas nas áreas jurídica, psicológica, socioassistencial, rede de apoio, acolhimento e rede médica.

Sabemos o quanto é doloroso relembrar um episódio de abuso sexual, principalmente quando corrido em uma fase tão importante do desenvolvimento quanto a adolescência. Por isso, o MeToo Brasil reitera a importância da coragem da cantora, que serve de exemplo a todas e todos que passaram por situações semelhantes a procurarem ajuda e a denunciarem, mesmo que o crime já esteja prescrito.

O depoimento de Anitta evidencia uma característica do abuso sexual no Brasil, onde a maioria das vítimas são menores de idade e muitos dos agressores são da família ou próximos. A força da cantora ao fazer seu relato mostra a dificuldade enfrentada pelas vítimas, que muitas vezes não têm meios e nem recebem acolhimento. O MeToo Brasil e toda sua rede de apoio estendem a mão à Anitta e a todas as mulheres que sofreram algum tipo de abuso. Vocês não estão sozinhas!"

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.