ASSINE

Previsão para Selic de 2019 segue em 4,5%, mas vai a 4,25% para 2020

Em outubro, taxa básica de juros da economia sofreu o terceiro corte consecutivo

Publicado em 25/11/2019 às 11h28
Taxa Selic está no menor patamar da história. Crédito: Reprodução/Web
Taxa Selic está no menor patamar da história. Crédito: Reprodução/Web

Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic (a taxa básica da economia) no fim de 2019, mas alteraram a expectativa para 2020. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira (18), que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 4,50% ao ano. Há um mês, estava no mesmo patamar. Já a projeção para a Selic no fim de 2020 foi de 4,50% para 4,25% ao ano, ante 4,75% de quatro semanas atrás.

No caso de 2021, a projeção permaneceu em 6,00%, ante 6,50% de um mês antes. A projeção para a Selic no fim de 2022 seguiu em 6,50%, ante 7,00% de quatro semanas antes.

Em outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC cortou a Selic em 0,50 ponto porcentual, de 5,50% para 5,00% ao ano. Foi o terceiro corte consecutivo da taxa básica. No comunicado sobre a decisão, o BC avaliou que "a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude".

O próximo encontro do Copom ocorre em dezembro e será o último do ano. Para o início de 2020, porém, a sinalização é de que o corte pode ser menor ou nem mesmo ocorrer.

Este vídeo pode te interessar

TOP 5

No grupo dos analistas que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo no Focus, a mediana da taxa básica em 2019 seguiu em 4,50% ao ano, igual a um mês antes. No caso de 2020, permaneceu em 4,00% ao ano, ante 4,25% de quatro semanas atrás.

A projeção para o fim de 2021 no Top 5 permaneceu em 6,50%. Há um mês, estava no mesmo patamar. Para 2022, a projeção do Top 5 seguiu em 6,50% ao ano, igual a um mês antes.

A Gazeta integra o

Saiba mais
economia Taxa Selic

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.