ASSINE

Guedes diz acreditar em solução para precatórios respeitando o teto de gastos

Ministro rebateu críticas de que o governo teria como prever o valor a ser pago com essas dívidas alegando que "tivemos quase R$ 20 bilhões nos últimos dez dias, como alguém pode prever?"

Publicado em 10/09/2021 às 14h27
Ministro da Economia, Paulo Guedes
Ministro da Economia, Paulo Guedes. Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (10), que se reunirá na próxima semana com os presidentes das duas Casas do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) para discutir o pagamento dos precatórios em 2022. "Acredito que encontraremos uma solução para precatórios respeitando o teto de gastos", afirmou Guedes, em evento do Credit Suisse.

Na quinta-feira, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que retira os precatórios do teto de gastos (regra que limita o crescimento das despesas à variação da inflação). "É nosso dever alertar outros poderes de que suas decisões têm consequências econômicas", disse Guedes nesta sexta.

O ministro rebateu ainda críticas de que o governo teria como prever o valor a ser pago com essas dívidas judiciais. "Tivemos quase R$ 20 bilhões (em precatórios) nos últimos dez dias, como alguém pode prever isso?", questionou.

No evento, Guedes disse ainda que a transformação de uma recuperação cíclica para o desenvolvimento sustentável "já está contratada" e que o governo tem um compromisso com a consolidação fiscal. "Pode desacelerar, mas não vamos mudar a direção. Mantivemos nosso compromisso com as futuras gerações em todas as ações", completou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.