ASSINE

Caixa vê banco digital pronto

A sinalização veio do presidente do banco público, Pedro Guimarães, que disse estar acontecendo conversas iniciais com o conselho de administração e o Banco Central

Publicado em 26/11/2020 às 09h12
Vitória - ES - Movimentação em frente agência da Caixa Econômica na Reta da Penha para retirada do benefício do Governo Federal.
Movimentação em frente agência da Caixa Econômica na Reta da Penha para retirada do benefício do Governo Federal. Crédito: Vitor Jubini

Com o processo de digitalização acelerado pela necessidade de operacionalizar o pagamento do auxílio emergencial, a Caixa Econômica Federal espera ter o seu banco digital pronto para ser levado à Bolsa em seis meses. A sinalização veio do presidente do banco público, Pedro Guimarães, que disse estar acontecendo conversas iniciais com o conselho de administração e o Banco Central. Assim que tiver um sinal verde, o próximo passo será a abertura de capital da unidade na bolsa norte-americana Nasdaq, berço das empresas de tecnologia, e também na B3.

Guimarães disse ainda que o banco digital está operacionalmente pronto. É uma plataforma de 105 milhões de clientes com contas e sob a coordenação da Vice-Presidência Logística e Operações, Thays Cintra Vieira. "O banco digital será o único a contar com uma estrutura como a da Caixa, de 25 mil pontos de vendas físicas, entre agências, loterias e correspondentes", afirmou Guimarães, em coletiva de imprensa.

A desenvoltura do banco digital agradou analistas. De acordo com o corresponsável de Renda Variável da Eleven, Carlos Daltozo, um dos pontos que mais chamou atenção foi o amplo processo de digitalização da instituição financeira ao longo dos últimos meses, como reflexo do pagamento do auxílio emergencial. "É muito interessante ver essa evolução", afirmou.

RESULTADO

O lucro líquido contábil da Caixa caiu 76,4% no terceiro trimestre para R$ 1,89 bilhão, refletindo as medidas do banco para mitigar os efeitos da crise pandêmica. Nos nove primeiros meses do ano, o lucro do banco público foi a R$ 7,5 bilhões, em comparação com os R$ 16,2 bilhões no mesmo intervalo do ano passado.

A Caixa emprestou mais no ano, ainda como pano de fundo a pandemia. A carteira de crédito fechou setembro com um saldo de R$ 756,5 bilhões, um aumento de 5% frente a junho. Segundo a Caixa, o número reflete, ainda, crescimento de 10,7% no saldo da carteira em relação ao terceiro trimestre de 2019.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.