ASSINE

CBN Vitória chega aos 25 anos em diferentes plataformas

Ao longo dessas duas décadas a forma de ouvir notícia foi se transformando, amparado no avanço da tecnologia - e a CBN Vitória segue na vanguarda

Tempo de leitura: 4min
Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 17/12/2021 às 01h35
Estúdio CBN Vitória
Estúdio CBN Vitória: rádio evoluiu com o avanço da tecnologia e está muito além do dial. Crédito: Vitor Jubini

Lá no ano de 1996, quando a CBN Vitória entrou no ar, você consegue se lembrar de como era sua forma de ouvir rádio? Aquele tradicional hábito de consumo do brasileiro, de pegar seu aparelho de radinho para sintonizar na sua estação favorita, foi evoluindo e apoiado no avanço da tecnologia ganhou o mundo por meio das nossas mãos – e ouvidos. No dial (92,5 FM), no celular, no computador ou em assistentes digitais de voz a experiência de consumo da informação está em muitas plataformas.

É o que aponta o diretor de jornalismo da Rede CBN, Pedro Dias Leite. “O alcance do rádio sempre foi enorme, mas ganhou novas fronteiras com o digital. Os ouvintes da CBN agora podem escutar nossa programação onde quiserem e quando preferirem, não só no radinho, no carro ou em casa, mas também no aplicativo do celular, no agregador de podcast, no Globoplay ou nas redes sociais”, explica.

UMA RÁDIO MULTIPLATAFORMA

A âncora do programa CBN Vitória e editora-executiva da rádio, Fernanda Queiroz, fala da evolução de como as informações chegam aos ouvintes por meio do veículo. “Somos multiplataforma! A rádio sempre se pautou pela palavra inovação, para tentarmos chegar a um número maior de pessoas sempre. Ela se vale da tecnologia para chegar aonde as pessoas estão, nas redes sociais, por aplicativo e agregadores de podcast”, conta. 

Fernanda Queiroz. Edição do CBN Vitória comemorativa dos 25 anos da rádio e dos 470 anos de Vitória no hotel Ilha do Boi
Edição do CBN Vitória comemorativa dos 25 anos da rádio e dos 470 anos de Vitória no hotel Ilha do Boi. Crédito: Vitor Jubini

Fernanda recorda que, em um caso de sucesso, a CBN Vitória foi a primeira emissora de rádio a transmitir notícias em TV, por meio da presença de câmeras no seu estúdio. “A CBN se pauta muito por isso: buscar novos caminhos, novas oportunidades”, define. Prova disso é que ouvintes fiéis da programação da emissora não não apenas aqueles que estão em território capixaba, mas sim em todo o mundo e ouvem a rádio de diversas formas.

OUVINTES E SUA RELAÇÃO COM A CBN VITÓRIA

Os ouvintes Rubens Lorenzini, junto a família, e Suzanna Ferstl Ferreira Bastos
Rubens Lorenzini, que mora nos EUA com a família, e Suzanna Ferstl Ferreira Bastos, não perdem os programas da CBN Vitória para se manterem informados. Crédito: Montagem/Acervo pessoal

Um dos exemplos dessa relação multiplataforma ocorre com o ouvinte Rubens Lorenzini, de 37 anos. Professor de Educação Física, ele mudou para os Estados Unidos em 2019 e manteve a tradição de acompanhar as notícias do Espírito Santo ouvindo a rádio por meio do aplicativo e site, participando ativamente dos programas locais. “A CBN faz parte do meu dia a dia! Ouço sempre que possível, a maior parte do meu dia mesmo. Ouço a CBN porque é um jeito que uso para matar a saudade do meu país, do meu Estado”, define. 

A empreendedora Suzanna Ferstl Ferreira Bastos, de 58 anos, é aquela ouvinte que também passa a maior parte do seu dia ligada na programação. “Nesses 25 anos eu acompanho a rádio, ela faz parte do meu dia a dia. Me emociono com as notícias, às vezes fico pensando. Acordo, ligo o rádio, faço meu café e quando volto, na hora do almoço, meu rádio está ligado”.

NOTÍCIAS LOCAIS, TRÂNSITO E MUITO MAIS

Sempre ligado também é o mestre de cerimônia Wagnner Zanon, 39 anos. “Eu escuto a CBN porque ela faz muita diferença no nosso dia a dia. Notícias, trânsito, tempo, tudo em tempo real. A informação no momento. É uma parceira nossa no carro, em casa”. Relação de parceria também é definida pela ouvinte Jacqueline Canal, cientista da computação, de 45 anos. “Já são 25 anos, desde que morava em Viana (agora moro em Vitória), que estou com vocês, todos os dias. É um prazer imenso ter vocês [a CBN] todos os dias em minha casa”. 

Os ouvintes Wagnner Zanon e Sara Del Puppo
Os ouvintes Wagnner Zanon e Sara Del Puppo acompanham a programação diariamente. Crédito: Acervo pessoal

Wagnner Zanon

Mestre de cerimônia e ouvinte CBN Vitória

"Eu escuto a CBN porque ela faz muita diferença no nosso dia a dia"

A empresária Sara Del Puppo, 29 anos, resume o sentimento dessa legião de “ouvidos” da emissora. “Um dos principais motivos para ouvir a CBN é me manter conectada às notícias do Estado, do Brasil e do mundo. É um lugar onde consigo confiar nas fontes de notícias, me manter informada de uma forma leve e ainda consigo saber do trânsito no caminho de volta para casa ou indo pro trabalho”, resume.

Mas, mesmo em meio a tantas inovações, Fernanda Queiroz resume o sentimento que une aqueles que atuam no veículo. "O que nos move é o amor ao rádio, a relação de cumplicidade com a audiência. É isso que faz a fórmula do rádio ser eterna. O rádio não vai morrer enquanto continuar sendo relevante", defende. 

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
cbn cotidiano cbn reportagens cbn vitoria

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.