ASSINE

Antes de renunciar, Jânio Quadros visitou torre de observação em Vila Velha

O então presidente do país veio ao Espírito Santo e, acompanhado do presidente da antiga CVRD, Eliezer Batista, conheceu o complexo da mineradora, incluindo a Torre de Porto Velho, antes de renunciar ao cargo no dia 25 de agosto de 1961

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 05/02/2021 às 10h21
Atualizado em 05/02/2021 às 10h21
Vale
Hoje em desuso, a Torre de Porto Velho chegou até a receber o presidente Jânio Quadros no ano de 1961, quando ela era usava na observação e movimentação das locomotivas e composições operadas pela CVRD. Crédito: Vitor Jubini e Arquivo/Vale

Quem passa pela Rua Porto Belo, nas imediações do acesso ao Museu da Vale, em Vila Velha, já deve ter notado a presença de uma torre em forma de espiral, de cor amarela e já integrada à paisagem local. Atualmente em desuso, a estrutura outrora teve papel importante para a mineração capixaba e já recebeu até mesmo a visita de um presidente do Brasil.

O ano era 1957 e a Companhia Vale do Rio Doce, a atual Vale, construiu uma base, a Torre de Porto Velho, com o objetivo de dinamizar a comunicação com o pátio de manobras, por meio da utilização de rádios nas locomotivas e composições. Do alto da torre, onde se tem uma visão ampla e em 360 graus, os operadores utilizavam binóculos para monitorar o vai e vem dos trens nas linhas férreas.

ANTES E DEPOIS

Quatro anos mais tarde, em 1961, o então presidente do Brasil, Jânio Quadros, antes de renunciar à presidência da República no dia 25 agosto, também teve a oportunidade de observar o ir e vir das máquinas sobre os trilhos do alto da Torre de Porto Velho. Acompanhado do presidente da corporação na época, o executivo Eliezer Batista, e também por políticos capixabas, a comitiva presidencial esteve no Estado para conhecer o trabalho desenvolvido no complexo pertencente à mineradora.  

AVANÇO TECNOLÓGICO

Mais de meio século depois da visita presidencial, talvez o momento mais marcante desde que foi inaugurada, a Torre de Porto Velho há anos não lembra em nada o período em que a logística do transporte de minério de ferro também dependia dela. Este continua sendo realizado diariamente no complexo de São Torquato, mas já sem a necessidade da observação humana do alto da estrutura.

Vale
Atualmente, as locomotivas e composições são monitoradas no Centro de Controle de Pátios (CCP), localizado na Unidade Tubarão, que gerencia em tempo real a movimentação de cargas no pátio e no Terminal de Porto Velho. Crédito: Divulgação/Vale

Não que a torre tenha sido abandonada, mas ocorreu uma modernização natural assim como toda a cadeia da mineração. Se as locomotivas evoluíram, o controle das mesmas também. Atualmente, o Centro de Controle de Pátios (CCP), localizado na Unidade Tubarão, gerencia em tempo real a movimentação de cargas no pátio e no Terminal de Porto Velho, em Vila Velha. O CCP também monitora outros terminais em Vitória, Serra e João Neiva, totalizando 360 quilômetros de linha férrea, segundo informado pela Vale.

O local é equipado com monitores e conectado a 26 câmeras com imagens digitais. Entre as tecnologias utilizadas está um sistema que avalia as condições da linha e emite informações através de fibra, em tempo real, que também pode ser acessado por celulares.

MARCAS DO TEMPO

Sem ser utilizada, a Torre de Porto Velho resiste à ação do tempo. Prestes a completar 63 anos neste 2021, a estrutura mantém, ainda que já degastada pela ferrugem, a placa de identificação de patrimônio da extinta CVRD. Já os cômodos existentes no interior da base de observação estão mais avariados. Este espaço servia de apoio para os trabalhadores na época.

Capixapédia
Jânio Quadros, à esquerda, realizou uma visita presidencial ao Estado em 1961, antes da renúncia ao cargo. Crédito: Arquivo/Vale

Mesmo sendo um bem privado, há sinais de que pessoas ocuparam o espaço ao longo dos anos. Como forma de coibir este tipo de ação e preservar o próprio patrimônio histórico e material, a Vale salientou que reforçará ações para evitar o acesso de terceiros ao local e que também mantém rondas constantes na região.

A torre presidencial de Vila Velha

Vale
Hoje integrada à paisagem local, a Torre de Porto Belo já recebeu até a visita do presidente Jânio Quadros em 1961. Vitor Jubini
Torre
A torre foi construída no ano de 1957 e fica nas imediações da estrada que dá acesso ao Museu da Vale, em Vila Velha. Vitor Jubini
Vale
Ao todo, a Torre de Porto Velho possui sete andares, sendo dois com acomodações para os antigos colaboradores. Vitor Jubini
Torre
Marcas do tempo: a placa de identificação de patrimônio da antiga CVRD é um indicativo da idade da Torre de Porto Velho. Vitor Jubini
Torre
No "quinto" andar da torre existia acomodações para os funcionários que lá operavam. Vitor Jubini
Torre
Feita em forma de espiral, a torre era utilizada na observação do pátio de trens antiga CVRD . Vitor Jubini
Torre
A Torre de Porto Velho por anos teve papel importante para a movimentação de minério na região. Vitor Jubini
Torre
Do alto da Torre de Porto Velho é possível ver toda a região em 360°. Vitor Jubini
Torre
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros . Vitor Jubini
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros
Por dentro, a torre mostra que o espaço chegou a ser ocupado por terceiros

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.