ASSINE

Recomendo parar de me atacar e começar a trabalhar, diz Doria a Bolsonaro

A réplica foi dada ao Broadcast Político, após o presidente afirmar que Doria "só não quebrou" o Estado por causa da ajuda financeira dada pelo governo federal

Publicado em 30/10/2020 às 15h58
Governador de São Paulo, João Doria
Governador de São Paulo, João Doria. Crédito: Flickr Governo do Estado de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em resposta à investida que tem sofrido do presidente da Jair Bolsonaro, sugeriu que o presidente pare de atacá-lo e "comece a trabalhar" Segundo o governador, "o povo não quer briga, quer emprego". "O Brasil não quer divisão, quer compaixão. O Brasil não quer um presidente que só pensa em reeleição", completou.

A réplica foi dada ao Broadcast Político, após o presidente afirmar que Doria "só não quebrou" o Estado por causa da ajuda financeira dada pelo governo federal. Bolsonaro também se referiu ao governador como "esse da vacina obrigatória" durante discurso a apoiadores na quarta-feira (28).

Doria e Bolsonaro aumentaram a frequência das críticas entre si desde que o Ministério da Saúde suspendeu a intenção de compra das doses da vacina contra o novo coronavírus, em produção pelo paulista Instituto Butantã. Na última semana, em menos de 24h após a assinatura do acordo, o presidente disse que o imunizante não seria comprado. O governo paulista pleiteia junto ao governo federal o financiamento para a produção das doses e aplicação dentro do Plano Nacional de Imunização (PNI) sob responsabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.