ASSINE

Mulher em cárcere privado é resgatada após pedir ajuda com bilhete de loteria

No papel, a vítima escreveu: "Me ajude, preciso sair dessa casa, estou sendo ameaçada de morte pelo meu companheiro, me ajuda"

Publicado em 27/10/2021 às 08h31
Bilhete escrito por mulher mantida em cárcere privado
Bilhete escrito por mulher mantida em cárcere privado em Anápolis, Goiás. Crédito: Divulgação/Polícia Militar

Uma mulher mantida em cárcere privado foi resgatada após pedir ajuda a vizinhos usando um bilhete de loteria. No papel, a vítima escreveu: "Me ajude, preciso sair dessa casa, estou sendo ameaçada de morte pelo meu companheiro, me ajuda".

O caso ocorreu no sábado (23) em Anápolis, no estado de Goiás. Um dos vizinhos acionou a Polícia Militar e o suspeito foi preso em flagrante. Segundo informações repassadas à reportagem pelo 28° BPM, a vítima aproveitou um momento em que foi levar o lixo até a frente da casa para deixar o bilhete.

Ela já estava em cárcere há pelo menos um mês, quando se mudou junto para Anápolis com o companheiro. Segundo o registro da ocorrência, o homem queimou roupas e outros pertences da mulher e ainda agrediu ela e seu filho.

O suspeito, que não foi identificado pelas autoridades, não tinha outras passagens pela polícia.

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 - Central de Atendimento à Mulher - e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e através da página da ONDH (Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.