ASSINE

Maia e Alcolumbre em nota: saída de Mandetta não é positiva e será sentida

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (16) que a demissão Mandetta foi um "divórcio consensual"

Publicado em 16/04/2020 às 21h21

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), assinaram uma nota conjunta manifestando temor com a saída de Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde. Os parlamentares fizeram um apelo para que o novo ministro, Nelson Teich, mantenha uma ação com base técnica no combate ao novo coronavírus.

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta
Luiz Henrique Mandetta foi demitido do Ministério da Saúde em meio à pandemia do novo coronavírus. Crédito: Isac Nóbrega/PR

"O trabalho responsável e dedicado do ministro foi irreparável. A sua saída, para o país como um todo, nesse grave momento, certamente não é positiva e será sentida por todos nós", diz a nota.

"A maioria das brasileiras e dos brasileiros espera que o presidente Jair Bolsonaro não tenha demitido Mandetta com o intuito de insistir numa postura que prejudica a necessidade do distanciamento social e estimula um falso conflito entre saúde e economia."

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (16) que a demissão Mandetta foi um "divórcio consensual". Na nota, Maia e Alcolumbre manifestam expectativa de que Teich dê continuidade ao bom trabalho que vinha sendo desempenhado pelo Ministério da Saúde. "A vida e a saúde dos brasileiros devem ser sempre nossa maior prioridade."

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.