ASSINE

Deixar o governo era a única atitude eticamente aceitável, diz Rosângela Moro

Defensora do isolamento social durante a crise do novo coronavírus, Rosângela Moro voltou a defender os cuidados contra a pandemia e reclamou de ser alvo de fake news

Publicado em 27/04/2020 às 08h02
Serio e Rosangela Moro
Sérgio e Rosângela Moro. Crédito: Reprodução Instagram

Em sua conta de Instagram, Rosângela Moro, mulher do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, se manifestou, pela primeira vez, neste domingo (26), sobre a saída do ex-juiz da Lava Jato do governo Jair Bolsonaro. "Eu não poderia esperar outra atitude do meu marido; deixar o governo era a única eticamente aceitável".

Defensora do isolamento social durante a crise do novo coronavírus, ela voltou a defender os cuidados contra a pandemia e reclamou, assim como o ex-ministro, de ser alvo de fake news. "Eu lamento que, em meio a uma gigante pandemia, o foco tenha sido desvirtuado, porque acredito que a vida precisa estar acima de tudo. Sou cidadã e, ao mesmo tempo, esposa de uma pessoa que lutou fortemente contra a corrupção sob a máxima: a lei é para todos, em defesa do estado de direito".

"Usem máscaras e se protejam. Não podemos sair iguais dessa pandemia. Precisamos nos transformar em pessoas melhores", disse Rosângela, que já chegou a postar mensagem de apoio ao ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, antes de ele deixar a pasta - a mensagem foi apagada por ela minutos depois.

"A Lava Jato é uma conquista da sociedade brasileira. Também somos uma família que sempre, com muita fé em Deus, defendeu valores de ética e verdade. Nunca ofendi qualquer autoridade do País, mesmo quando discordava. Nunca insultei ou ofendi qualquer condenado quando meu marido era juiz. Atos têm consequências e cada um responde pelos seus", diz Rosângela.

Moro também reclamou, em seu Twitter, de ser alvo de notícias falsas nas redes e no WhatsApp. Rosângela também reagiu. "Viveremos tempos difíceis, certamente, com a propagação de ofensas e inverdades, sejam por parte de robôs ou de pessoas que discordam dos nossos valores. Mas sigo confiante de que fazer a coisa certa é sempre o caminho necessário".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.