ASSINE

CPI da Covid inclui governador do Amazonas entre os pedidos de indiciamento

Além de Wilson Lima (PSC), o ex-secretário de Saúde estadual Marcellus Campêlo também foi relacionado pelos senadores da comissão

Publicado em 26/10/2021 às 11h40
PF faz buscas e apreensão na casa e no gabinete do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC)
O governador Wilson Lima (PSC) foi incluído no relatório final da CPI da Covid. Crédito: Sandro Pereira/Folhapress

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), cedeu e decidiu incluir no relatório final da comissão as propostas de indiciamento do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do ex-secretário de Saúde estadual Marcellus Campêlo.

A inclusão representa uma vitória do senador Eduardo Braga (MDB-AM), que ameaçava votar contra o relatório se seu pedido não fosse atendido.

Renan e outros membros do grupo majoritário defendiam que havia impedimento legal para indiciar governador, amparado em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Além disso, argumentavam que ambos já eram investigados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A inclusão apenas foi acertada durante a madrugada, após conversa de Braga com outros dois senadores do grupo majoritário, Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Otto Alencar (PSD-BA). A mudança teria sido também acertada com o próprio Aziz, que no entanto negou que houve um acordo.

"Não há acordo para colocar nomes ou tirar nomes. Os fatos são maiores", disse Aziz durante a sessão.

Antes da sessão, Renan ainda criticou o presidente Jair Bolsonaro, a quem chamou de "serial killer".

"[A situação atual] é responsabilidade desse serial killer que tem compulsão de morte e continua a repetir tudo que já fez anteriormente", afirmou Renan.

"Ele demonstra claramente que não zela pela saúde pública e não tem respeito pelas pessoas", completou.

BANIMENTO DE BOLSONARO DAS REDES SOCIAIS

Os senadores da CPI da Covid aprovaram requerimento que prevê o envio de medida cautelar ao Supremo Tribunal Federal em que pede o banimento do presidente Jair Bolsonaro das redes sociais.

O pedido será enviado ao ministro Alexandre de Moraes, no âmbito do inquérito das fake news. Trata-se de uma reação à fala de Bolsonaro, que divulgou em transmissão em suas redes sociais uma fake news que associa a vacina contra a Covid-19 à Aids.

Outro requerimento aprovado prevê solicitação ao STF que exija retratação de Bolsonaro, sob pena de R$ 50 mil por dia de descumprimento.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.