ASSINE

Covid-19: OMS diz que continuará os estudos com hidroxicloroquina

A entidade havia suspendido as pesquisas com o medicamento após estudo indicar que as duas drogas, hidroxicloroquina e cloroquina, estavam relacionadas  maior mortalidade dos pacientes

Publicado em 03/06/2020 às 15h45
Atualizado em 03/06/2020 às 15h46
Nenhum estudo científico sobre cloroquina comprovou eficácia da droga contra a Covid-19
Crédito: freepik.com

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta quarta-feira (3) que vai retomar os estudos com hidroxicloroquina para o tratamento de Covid-19.

A entidade havia suspendido as pesquisas com o medicamento para reavaliar sua segurança depois da publicação em 22 de maio de um estudo na revista médica inglesa Lancet com dados de 96 mil pacientes que indicava que as duas drogas, hidroxicloroquina e cloroquina, estavam relacionadas a maior mortalidade.

"Com base nos dados disponíveis sobre mortalidade, o comitê recomendou que não há razões para modificar o protocolo de testes", disse o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta quarta-feira.

Os governos da França, da Bélgica e da Itália deixaram de usar a hidroxicloroquina no tratamento de pacientes de Covid-19 depois que a OMS anunciou a suspensão de seus testes.

No Brasil, o uso das duas drogas é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, e em 20 de maio o Ministério da Saúde alterou o protocolo para ampliar seu uso também por pacientes com sintomas leves de Covid-19. Até então, a permissão era para pacientes graves e críticos e com monitoramento em hospitais.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.