ASSINE

Bolsonaro deixa entrevista após pergunta sobre inquérito de Pazuello no STF

Lewandowsk autorizou a abertura do inquérito para apurar a atuação do ministro no colapso da rede pública de hospitais em Manaus; Bolsonaro ainda não comentou sobre o assunto

Publicado em 27/01/2021 às 14h50
Atualizado em 27/01/2021 às 14h50
62 pedidos de impeachment contra Bolsonaro estão tramitando na Câmara
62 pedidos de impeachment contra Bolsonaro estão tramitando na Câmara. Crédito: Carolina Antunes/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro encerrou uma entrevista à imprensa nesta quarta-feira (27), após ser questionado sobre o inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga a atuação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Na segunda-feira (25), o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, autorizou a abertura do inquérito para apurar a atuação do ministro da Saúde no colapso da rede pública de hospitais em Manaus (AM).

Bolsonaro ainda não comentou sobre o assunto. Hoje em conversa com jornalistas em frente ao Ministério da Economia, o presidente deixou o local após ser perguntado sobre a investigação contra Pazuello e se o ministro continuaria no cargo. O chefe da Saúde é também alvo de pressões pelos atrasos na campanha de vacinação no País.

A intenção do inquérito no Supremo é apurar se houve omissão no enfrentamento da crise provocada pela falta de oxigênio para pacientes com covid-19 na capital do Amazonas, que resultou na morte e transferência de doentes para outros Estados.

O próprio Ministério da Saúde admitiu ao STF que a pasta sabia desde 8 de janeiro que havia escassez de oxigênio para os pacientes em Manaus, uma semana antes do colapso. A data também foi confirmada por Pazuello em entrevista coletiva. O ministério, contudo, só iniciou a entrega de oxigênio em 12 de janeiro, segundo as informações prestadas.

Como o Broadcast mostrou, no mesmo dia em que a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a abertura do inquérito, Pazuello viajou para a capital amazonense sem "voo de volta" e para ficar "o tempo que for necessário". O governo atua para reverter a crise em Manaus e também investe na divulgação das ações realizadas para melhorar a imagem desgastada da atuação de Pazuello.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.