ASSINE

Bolsonaristas cobram STF sobre ataques ao presidente após internação

Marco Feliciano (PL-SP) e Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) cobraram ações do Supremo Tribunal Federal após o presidente receber supostos ataques e ameaças na internet

Publicado em 04/01/2022 às 08h47
O presidente Jair Bolsonaro postou foto em que aparece em leito de hospital
O presidente Jair Bolsonaro postou foto em que aparece em leito de hospital. Crédito: Reprodução/Twitter/@jairbolsonaro

Bolsonaristas usaram as redes sociais para cobrar apuração pelo STF (Supremo Tribunal de Justiça) de supostos ataques e ameaças contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) após internação para tratar de obstrução intestinal.

Marco Feliciano (PL-SP) e Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) cobraram ação do STF. À reportagem Feliciano citou como ameaça um post em que o ator Zé de Abreu diz desejar que Bolsonaro exploda. "Alguma investigação, diligência ou atitude parecida será tomada com os donos das contas das mídias sociais que ameaçam e desrespeitam o presidente?", questionou Feliciano no Twitter.

Ao compartilhar a postagem do ator, o filho 02 de Bolsonaro marcou a página do STF na plataforma. Outro que comentou os ataques foi o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten. Ele afirmou que "qualquer incentivo/ameaça à vida" do presidente "deveria ser considerada promoção da instabilidade institucional e da ordem democrática".

Os bolsonaristas classificaram nas redes como "ódio do bem" postagens como a do ator e de outras páginas em que pessoas desejam a morte do presidente ou questionam a internação após passar mal durante as férias em Santa Catarina.

Este vídeo pode te interessar

"Esse ódio do bem está dando muita raiva. Polarizar sobre política é uma coisa. Desejar a morte é outra completamente diferente", disse Carla Zambelli (PSL-SP) ao comentar postagem de Carlos Bolsonaro.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.