ASSINE
Autor(a) Convidado(a)
É diretor da Sankhya-ES e especialista em ERP

Investimentos tímidos em tecnologia devem ser revistos

Pandemia demonstrou e acelerou a transformação dos negócios para o mundo digital, mas a aplicação de recursos na área não tem acompanhado a necessidade

Publicado em 06/04/2021 às 14h00
Não é só a tecnologia que faz as cidades inteligentes: vários indicadores são levados em conta
Não é só a tecnologia que faz as cidades inteligentes: vários indicadores são levados em conta. Crédito: Pixabay

Uma das definições de tecnologia é a aplicação de conhecimento científico para objetivos práticos. Esse conhecimento transforma-se em ferramentas, dispositivos e sistemas capazes de serem aplicados em diversas áreas, inclusive à gestão empresarial, como uma forma de aperfeiçoá-la. A otimização da gestão significa redução de gastos, que começa na redução do tempo, afinal o ditado popular já diz que “tempo é dinheiro”. Mas será que os gestores sabem disso e estão dando a devida importância para os investimentos na área?

Um estudo divulgado pela Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em setembro do ano passado mostrou que os investimentos em hardware, software e outros serviços de tecnologia não tinham previsão de crescimento em 2020. A estimativa era de que o avanço seria apenas 0,4% superior em relação a 2019, quando o setor cresceu 10,5%, se compararmos ao ano anterior.

Mesmo com esse aumento em 2019, o Brasil caiu da 9ª para 10ª posição na lista de países que mais investem em tecnologia. Em 2020, se manteve no mesmo patamar. É claro que os números de investimento têm uma relação direta com a crise atual, que impactou o mundo todo, mas também é preciso observar o quanto dessa redução está atrelada à cultura e falta de valorização dos investimentos em tecnologia.

É consenso dizer que a pandemia demonstrou e acelerou a transformação dos negócios para o mundo digital. Para continuar existindo no mercado atual e do futuro, é preciso que a tecnologia esteja inserida no dia a dia dos negócios e que os investimentos no setor voltem a crescer de forma mais significativa, impulsionando o crescimento da nossa economia. E a melhor maneira de seguir esse caminho é conhecendo os recursos disponíveis no mercado que podem agregar ao negócio.

A inteligência artificial, por exemplo, é uma das principais tendências das empresas no momento. De acordo com o portal Statista, a receita gerada por softwares de inteligência artificial (IA, Artificial Intelligence ou AI) é estimada a atingir US$ 118,6 bilhões até o ano de 2025. Isso mostra o altíssimo potencial mostrado pela área. Essa é uma tecnologia versátil que está relacionada à capacidade de soluções tecnológicas realizarem atividades de um modo considerado inteligente. Um sistema de IA contribui com a tomada de decisão e atendimento mais ágil para a empresa.

Para quem ainda está dando o ponta pé inicial na incorporação da tecnologia, o caminho por ser começar pela adoção de um ERP, um sistema de gestão digital para controle e definição de processor pode fazer toda a diferença. As opções disponíveis são infinitas e cada negócio tem a sua particularidade, mas uma coisa é fato: todos precisam começar, voltar ou continuar investimento em tecnologia.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.