ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:
Autor(a) Convidado(a)
É reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

67 anos da Ufes: conquistas a comemorar, desafios a enfrentar

Nossa universidade, ao se engajar no enfrentamento à pandemia, ao valorizar o conhecimento científico e ao estimular a pluralidade de ideias, vem construindo um presente e um futuro melhor para todos

Publicado em 11/05/2021 às 13h53
Data: 26/11/2019 - ES - Vitória - Biblioteca Central da UFES - Editoria: Cidades - Foto: Fernando Madeira - GZ
Biblioteca Central da Ufes, no campus de Goiabeiras. Crédito: Fernando Madeira

Ufes chega aos seus 67 anos com muitas conquistas a comemorar: destaca-se em diversos rankings internacionais, tem avançado significativamente no ensino de graduação e de pós-graduação, deu passos seguros em direção a uma experiência de pesquisa que a aproxima ainda mais das demandas da sociedade e avançou na extensão, atendendo às mais diferentes necessidades em todo o Estado do Espírito Santo.

Além das conquistas registradas em seus três pilares principais de atuação (ensino, pesquisa e extensão), hoje nossa universidade já faz parte dos sonhos e das realizações de muitos jovens que, uma geração atrás, nem sequer cogitavam pisar em suas salas de aula. E isso é motivo de muito orgulho para todos nós. Por meio das políticas de reserva de vagas, em que a Ufes desponta como uma das pioneiras entre as universidades federais, e da assistência estudantil, tem proporcionado novas perspectivas para inúmeros jovens de menor renda e de estratos étnicos-raciais historicamente marginalizados.

Mas a nossa sexagenária universidade, com os acúmulos que já promoveu, ainda necessita dar conta de muitos e variados desafios. Por um lado, precisa ampliar e consolidar suas iniciativas em direção a novos patamares de excelência acadêmica, inclusive com a expansão e o fortalecimento da sua internacionalização; por outro, precisa dar conta de dívidas sociais severas, profundas e persistentes para que seja um instrumento efetivo de redução e eliminação das desigualdades sociais.

Essas duas pontas, aparentemente díspares, sobre as quais tem se equilibrado a ação da Ufes nos últimos anos, vêm exigindo de cada uma das administrações que se sucedem e de toda a comunidade universitária a sensibilidade e a capacidade de criar condições concretas para realizá-las. Mas os investimentos contínuos e em volume suficiente necessários para essa tarefa não têm sido garantidos. O orçamento de todas as universidades federais, a Ufes entre elas, tem sido sistematicamente reduzido pelo governo federal, dificultando a manutenção e o cumprimento dos seus objetivos.

Especialmente a partir do ano de 2020, com a chegada da pandemia do novo coronavírus, começamos a viver uma fase que talvez venha a ser considerada a mais difícil já enfrentada pela Ufes. Ainda assim, mesmo com as limitações que nos foram impostas pelo distanciamento social necessário para a contenção da Covid-19, por meio de tecnologias digitais para o trabalho e o ensino remotos na maior parte das atividades, a comunidade universitária, com dedicação e compromisso, tem conseguido fazer com que a universidade prossiga seu percurso. Dessa forma, a Ufes continua oferecendo à sociedade a possibilidade de exercício do direito à educação, resultado que é esperado no âmbito da formação de novos profissionais e do desenvolvimento científico e tecnológico e da prestação de serviços.

Gostaríamos de poder comemorar o aniversário da Ufes compartilhando da alegria dos que veem se tornar vitoriosos projetos realizados por tantas mãos. Infelizmente, o momento dramático que vivemos exige que expressemos nosso luto, nossos sentimentos e nossa solidariedade a todos os que perderam amigos, familiares e colegas de trabalho em meio às mais de 400 mil vidas que já foram levadas pela Covid-19, perdas que poderiam ter sido evitadas se tivessem sido adotadas melhores estratégias para o combate à pandemia.

Queremos registrar, ainda, nosso orgulho de fazer parte da história da Universidade Federal do Espírito Santo e a certeza de que nossa universidade, ao se engajar firmemente nas ações de enfrentamento à pandemia, ao valorizar o conhecimento científico, artístico e filosófico, ao confiar nos princípios democráticos, ao estimular a liberdade de pensamento e a pluralidade de ideias, ao promover a transparência de suas ações, e aos abraçar os direitos humanos, vem construindo um presente e um futuro melhor para todos.

Parabéns, Ufes, pelos seus 67 anos!

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.