ASSINE

Feminejo: como Marília Mendonça representou as mulheres e abriu caminho no sertanejo

Conhecida como a "Rainha da Sofrência", Marília deixa um legado de inclusão das mulheres nos palcos e nas letras das músicas; veja o vídeo

Vitória
Publicado em 09/11/2021 às 20h38

Feminejo: como Marília Mendonça representou as mulheres e abriu caminho no sertanejo

Ela revolucionou o gênero sertanejo, predominantemente masculino, trazendo as mulheres para dentro dos palcos e das letras das músicas. Marília Mendonça, que morreu na última sexta-feira (5) vítima de um acidente aéreo em Minas Gerais, ficou conhecida como a "Rainha da Sofrência" e como a construtora de um novo movimento no país: o feminejo.

A cantora mostrou nas canções que as mulheres também traem, bebem, viram noites na balada e podem fazer o que quiserem, ajudando a combater o machismo enraizado na sociedade.

O sucesso de Marília com essa revolução é incontestável. Desde o anúncio da sua sua morte, na sexta, 7 das 10 músicas mais pesquisadas no Google no Brasil são de sua autoria ou contam com participação da cantora. Na lista estão hits como "Infiel", "Supera" e "Todo mundo vai sofrer".

Entenda no vídeo acima a transformação que Marília Mendonça fez no sertanejo e todo seu legado de inclusão para a música e cultura brasileira.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.