ASSINE

Como reduzir o desconforto ao praticar atividade física com máscara

A dificuldade de respirar deixa as atividades mais difíceis do que eram antes da pandemia. Profissionais dizem que o ideal é manter um ritmo leve a moderado em atividades aeróbicas como corrida, ciclismo e caminhada

Publicado em 07/07/2020 às 09h30
Atualizado em 07/07/2020 às 09h30
Homem correndo na praia de máscara
Homem correndo na praia de máscara. Crédito: Shutterstock

Manter o isolamento social para conter o avanço da covid-19 no país continua sendo fundamental. Mas, gradualmente, as atividades estão voltando ao normal - seguindo as regras estipuladas pelas autoridades de saúde. E os adeptos das atividades físicas já perceberam que a máscara provoca grande desconforto na prática de exercícios físicos por dificultar a respiração. "Muitos alunos têm reclamado do desconforto gerado pela dificuldade de respirar. E também pelo suor, que deixa a máscara mais pesada e faz com que ela fique 'caindo' do rosto. Mas a grande maioria não se sente seguro para retirar - e nem deve mesmo - devido ao medo da contaminação", explica o profissional de educação física Francis de Carvalho. Vale lembrar que é recomendado o uso da máscara sempre que sair de casa. Ela é um dos meios para conter o avanço da covid-19 no país e serve para proteger você e todos ao seu redor do coronavírus.

Francis, que é coordenador geral da rede Wellness, explica que para reduzir o desconforto e, ao mesmo tempo, ter segurança no exercício, a recomendação é pegar leve em atividades aeróbicas como corrida, ciclismo e caminhada. "A atividade física moderada melhora a imunidade e ajuda a aumentar de forma considerável dos linfócitos, que são as células do sistema imunológico, responsáveis pela defesa do organismo de agentes desconhecidos, agindo para extinguir ou neutralizar células infectadas por vírus e bactérias. Os treinos intensos não são recomendados. Treinos muito pesados e intensos podem provocar queda de imunidade", diz. 

Já nos exercícios predominantemente anaeróbicos (como musculação) ou de atividades de potência que são de rápida execução e alta intensidade, o profissional de educação física Rui Ribeiro, da Hangar, explica que esses tipos de exercícios não geram demanda de dispersão de gotículas de maneira tão intensa. "Porém, temos orientado o nível de treino moderado. Quando se pensa em saúde e controle de imunidade, não devemos pensar em atividades de altíssima intensidade que vão contra a saúde, gerando um processo inflamatório no organismo. O recomendado é o treino moderado, seja de força, de potência e até o aeróbico. Agora o mais importante é estar regular e com a imunidade em alta", diz. Ele alerta ainda que, quem optar por se exercitar na rua, deve manter o distanciamento seguro. 

Cuidado com a máscara

Vale lembrar que só colocar a máscara no rosto não basta. Tem que ter cuidado ao manuseá-la, saber o tamanho correto para o seu rosto, além de adotar outras atitudes de prevenção. O tamanho correto da máscara, por exemplo, além de proporcionar conforto, é um fator fundamental para a proteção. Para ser eficaz ela deve passar embaixo do queixo e acima do nariz. Como cada rosto tem um tamanho, o ideal é que se prove para escolher a mais adequada.

A infectologista Rúbia Miossi explica que o tempo máximo de uso da máscara é de 4 horas. "Se ela estiver muito molhada e úmida tem que ser trocada imediatamente. Máscara molhada não funciona", ressalta. A escolha pela troca da máscara é em relação ao que ocorrer primeiro. A médica diz ainda que o tecido umedecido atrapalha a respiração, tornando-a desconfortável.

Fique bem esportes

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.