ASSINE

Saiba como manter suas plantas saudáveis durante a sua viagem

Veja como garantir a saúde das verdinhas mesmo sem as regas e cuidados diários e saiba quais são as espécies mais adequadas para quem viaja com frequência

Vitória
Publicado em 29/01/2021 às 02h00
Atualizado em 29/01/2021 às 02h01
Veja como fazer um fertilizante natural para suas plantas. O adubo caseiro leva casca de ovo, casca de banana e borra de café, entre outros ingredientes
É importante regar abundantemente nos dias que antecedem a viagem, além de lavar as folhas e adubar a terra ao voltar pra casa. Crédito: Nor Gal/Shutterstock

Viajar é ótimo para relaxar, dar um tempo da rotina e renovar as energias. Mas antes de arrumar as malas e sair por aí, é preciso se programar para deixar a casa em ordem. Nesse momento, muita gente lembra de deixar o ambiente limpo, procurar um hotelzinho para o pet ou deixá-lo com alguém de confiança. Mas e as plantas?

O mais indicado é ter um amigo ou familiar que possa adotar a plantinha no período de ausência. Porém, se você não tem ninguém por perto pra manter a rega em dia, é importante aderir a alguns cuidados para mantê-las saudáveis até o fim da sua viagem.

Rafaela Casati, diretora e proprietária do Sempre Verde Garden, ressalta que, antes de viajar, é sempre bom verificar se a sua espécie se encontra no local ideal para o período que você ficará fora. “Hoje, existem pessoas que já realizam o trabalho de Personal Garden, visitando a sua casa e cuidando das regas de suas espécies. Essa é a forma mais indicada, principalmente para quem vai se ausentar por mais de 5 dias”, aconselha.

“Mas para breves viagens ou para passar apenas o final de semana fora, já existem no mercado várias opções bacanas. Como os gotejadores, que podemos acoplar a uma garrafa pet. Ou mesmo os vasos autoirrigáveis, que já possuem o reservatório para água e gel para plantio”, acrescenta.

Conheça sua espécie

A especialista chama atenção para a importância de entender a sua espécie, pesquisando sobre ela, já que as plantas vêm de diferentes ecossistemas, o que influencia na frequência de rega, no local onde ela é colocada e também na incidência de sol que ela suporta. 

“Entender isso é fundamental para a adaptação dela na sua cidade e consequentemente na sua casa. Plantas são seres vivos, reagem de forma diferente em cada muda, em cada local que habita. Por isso, você precisa estudar o seu ambiente, o seu estilo de vida e se eles podem abrigar a espécie escolhida por você. O casamento desses fatores com a sua verdinha escolhida faz toda diferença, destaca.

O que fazer antes e ao voltar de viagem

Sinthia Ferrari

Paisagista

"É necessário deixar as plantas próximas de locais com luminosidade. Perto de uma janela, por exemplo"

A paisagista Sinthia Ferrari atua principalmente na área de jardins verticais, vasos, plantas e manutenção de jardins. Ela explica que se você não conta com um personal garden, uma dica importante é se atentar ao local em que a planta vai ficar nos dias que você estiver fora. “É necessário deixar as plantas próximas de locais com luminosidade. Perto de uma janela, por exemplo”, orienta.

Regar as plantas abundantemente nas horas que antecedem a viagem também faz toda a diferença. Outra dica é agrupar os vasos para que a evaporação das plantas juntas forme uma massa de umidade, assim, uma ajuda a outra.

Ao chegar, se você se deparar com suas plantas com aspecto de sofridas, a sugestão é molhar bastante, lavar as folhas para retirar a poeira que esteja fechando os poros da verdinha e fazer uma adubação na terra. “Lembrando que os adubos precisam ser usados na dose certa, porque em excesso podem queimar as plantas”, alerta Sinthia.

Espécies ideais para quem viaja muito

Espadas de São Jorge, Cactos e Zamioculcas
Espadas de São Jorge, Cactos e Zamioculcas (da esquerda para a direita) são opções de espécies resistentes. Crédito: Divulgação

Para quem viaja com mais frequência, a dica da paisagista é apostar em espécies mais resistentes e que demandam menos cuidados, como cactos e suculentas, mas elas não são as únicas. “Realmente essas espécies sobrevivem bem na seca, mas existem outras que também precisam de pouca água para sobreviver”.

A profissional listou algumas opções de plantas que se desenvolvem bem, mesmo com uma frequência menor de cuidados e rega:

  • Espada de São Jorge é uma planta que necessita de pouca rega. No inverno, pode ser molhada a cada dez dias e, no verão, pode ficar sem água por uma semana;
  • A Pata de elefante também é uma espécie dessas que armazena água no tronco e pode ficar muitos dias sem rega;
  • A Zamioculca  é uma espécie de verde brilhante, sobrevive bem sem água. Ela tem uma batata na raiz que armazena água, por isso aguenta até 15 dias sem rega;
  • Bougainville é uma espécie linda que dá flores e necessita de pouca rega.
decoracao Plantar É Viver

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.