ASSINE

Índia ultrapassa a marca de 300 mil casos de coronavírus no país

O número de casos da Índia aumentou em cerca de 100 mil em uma semana, coincidindo com a reabertura de shopping centers, casas de culto e restaurantes

Publicado em 13/06/2020 às 09h50
Atualizado em 13/06/2020 às 09h58
Forte de Amber é uma fortaleza histórica localizada na cidade de Amber, Índia
Forte de Amber é uma fortaleza histórica localizada na cidade de Amber, Índia. Crédito: dMz|Pixabay

A Índia registrou mais de 11 mil novos casos do novo coronavírus neste sábado e ultrapassou a marca de 300 mil casos. O Ministério da Saúde do país registrou 11.458 novos casos, elevando o número para 308.993, o quarto mais alto do mundo. O país também registrou 386 mortes, elevando o total para 8.884.

O número de casos da Índia aumentou em cerca de 100 mil em uma semana, coincidindo com a reabertura de shopping centers, casas de culto e restaurantes. O governo impôs um bloqueio nacional no fim de março. Na capital Nova Délhi, a maioria dos hospitais públicos está cheia. O governo de Nova Délhi projetou que os casos na área da capital poderiam aumentar para mais de meio milhão até o fim de julho e avalia adquirir hotéis e estádios de luxo para converter em hospitais de campanha.

A Coreia do Sul registrou 49 novos casos de coronavírus neste sábado, a maioria na área metropolitana de Seul, densamente povoada, onde as autoridades de saúde têm lutado para diminuir as transmissões relacionadas a atividades de entretenimento e lazer, reuniões de igreja e trabalhadores de baixa renda que não podem ficar em casa.

O país confirmou um total de 12.051 casos e 277 mortes. Autoridades disseram que 44 dos novos casos foram registrados na área da grande Seul, que abriga metade dos 51 milhões de habitantes do país. O chefe dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul pediu aos moradores que fiquem em casa no fim de semana, dizendo que há "grande preocupação" de que o aumento da atividade pública levaria a uma circulação maciça do vírus.

A África do Sul disse que o atraso médio na obtenção dos resultados dos testes de coronavírus dos laboratórios públicos aumentou para 12 dias diante da escassez de materiais de teste. Há um mês, o prazo era de pouco mais de dois dias. A África do Sul representa mais de um quarto dos casos do novo coronavírus da África, com mais de 61 mil casos. O país realizou cerca de um terço dos testes de vírus na África e países com menos recursos podem enfrentar atrasos semelhantes ou piores. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Coronavírus Mundo Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.