ASSINE

Biden quer vacinar 100 milhões nos primeiros 100 dias de governo nos EUA

No mesmo período, o presidente eleito dos Estados Unidos pretende incentivar o uso de máscaras no país para conter a disseminação da doença

Publicado em 08/12/2020 às 17h31
Atualizado em 08/12/2020 às 17h31
Joe Biden durante campanha à presidência dos EUA, na Pensilvânia
Joe Biden durante campanha à presidência dos EUA, na Pensilvânia. Crédito: Adam Schultz / Biden for President

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira (08), que pretende vacinar contra a covid-19 100 milhões de americanos em seus primeiros 100 dias de governo. No mesmo período, ele pretende incentivar o uso de máscaras no país para conter a disseminação da doença, dizendo que imporá esse acessório quando houver possibilidade. Biden falou no anúncio de sua equipe para a Saúde, entre eles Xavier Becerra para o comando do Departamento de Saúde e Serviços Humanos e Anthony Fauci como assessor médico-chefe.

"As coisas podem piorar antes de ficar melhores" na crise da covid-19 nos EUA, alertou Biden em sua fala. Ele disse que não podia prometer o fim da doença em seus primeiros 100 dias no poder, mas sim "mudar o rumo" em relação a ela no país. Outra prioridade no início do governo será levar as crianças de volta à escola e garantir que elas continuem a frequentar o ensino.

Biden também insistiu que o Congresso chegue a um acordo para um pacote de estímulos fiscais, que para o democrata é "apenas o começo" do apoio projetado. Ele citou a necessidade de que seja bancado todo o custo para levar as vacinas a todos os cantos do país. Para cumprir sua meta de imunizar 100 milhões de pessoas em pouco mais de três meses, disse que o presidente atual, Donald Trump, precisa comprar agora doses já combinadas com a Pfizer e a Moderna. Segundo Biden, a crise de saúde é "um dos desafios mais duros que o país já enfrentou", mas os EUA conseguirão superar esse momento.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.