ASSINE

África do Sul decide fechar maioria das escolas até o final de agosto

A medida é uma tentativa de impedir a disseminação do coronavírus no país, o mais atingido da África na atual pandemia e que tem visto uma explosão de casos desde o início de julho

Publicado em 23/07/2020 às 19h17
Sala de aula vazia: ainda não há data definida para retorno das escolas
Sala de aula vazia é consequência da pandemia. Crédito: Wokandapix/ Pixabay

O presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, anunciou nesta quinta-feira (23) o fechamento de todas as escolas públicas do país a partir da próxima semana.

A medida é uma tentativa de impedir a disseminação do coronavírus no país, o mais atingido da África na atual pandemia e que tem visto uma explosão de casos desde o início de julho.

Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, a África do Sul tem 394.948 casos confirmados da doença, com 5.940 mortes.

Ramaphosa afirmou que a decisão foi tomada por precaução. Em seu anúncio, ele disse que todas as escolas irão fechar na próxima segunda (27) e que a maioria dos alunos seguirá em casa até o dia 24 de agosto.

As exceções são os estudantes da 12ª série (semelhante ao 3º ano do ensino médio no Brasil) e os da 7ª série (semelhante à 7ª série do ensino fundamental brasileiro). O primeiro grupo deve voltar para a aula já no dia 3 de agosto, enquanto o segundo vai retornar a partir do dia 10. Não está claro ainda o que acontecerá com as escolas particulares do país.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.