ASSINE

Complexo oncológico do ES oferece radioterapia de última geração

Novos equipamentos do Hospital Santa Rita oferecem mais eficiência e conforto ao paciente em tratamento de câncer

Tempo de leitura: 3min
  • Hospital Santa Rita

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 03/12/2021 às 15h30
Hospital Santa Rita
Novas tecnologias do Hospital Santa Rita tornarão o tratamento com radioterapia mais preciso, confortável e eficaz. Crédito: Hospital Santa Rita/Divulgação

A partir do primeiro trimestre do próximo ano, o paciente que necessitar de tratamento com radioterapia no Espírito Santo contará com as tecnologias de Cone Beam Computed Tomography (CBCT), Clarity Autoscan 4D e Active Breath Coordinator (ABC), que compõem o mais alto padrão de tratamento radioterápico.

Trata-se de tomografia e ultrassonografia combinadas em tempo real e associadas ao controle do movimento respiratório para monitoramento do posicionamento de diversos órgãos como, próstata, mama, pulmão, pâncreas e vários outros, que tornará o tratamento com radioterapia mais preciso, confortável e eficaz.

São tecnologias que foram adquiridas em outubro deste ano pelo Hospital Santa Rita e que possuem previsão de chegar ao Estado em fevereiro próximo. Com isso, o maior complexo oncológico do Espírito Santo passa, também, a ser a única unidade hospitalar do Estado a possuir CBCT, além de controle de movimentação intra-fração e respiratório.

Com o CBCT, explica o médico radioterapeuta, Carlos de Freitas Rebelo, será possível obter imagens tridimensionais da anatomia do paciente segundos antes da aplicação da radiação, garantindo uma maior acurácia na irradiação do alvo tumoral poupando tecidos sadios.

CONTROLE RESPIRATÓRIO

No que diz respeito ao ABC, será possível controlar confortavelmente o ciclo respiratório das pacientes distanciando órgãos importantes, como o coração da região do tratamento primário, principalmente em tumores de mama esquerda. O ABC também promove a limitação da movimentação do tumor, fato determinante para a efetividade do tratamento dos cânceres de pulmão, fígado e pâncreas, por exemplo.

Historicamente, explica Carlos de Freitas Rebelo, o tratamento padrão de radioterapia dura, em média, entre 25 e 35 sessões. Com a nova tecnologia, utilizada nos principais centros de oncologia do mundo, pode-se chegar a apenas cinco sessões de terapia trazendo maior comodidade ao paciente.

“Isso só é possível graças aos avanços na entrega de altas taxas de dose com precisão e segurança, disponibilizada pelo novo equipamento adquirido. Essa técnica consiste na emissão de feixes modulados de fótons de alta energia que proporciona um tratamento mais rápido, reduzindo a probabilidade de movimentos fisiológicos e evitando a irradiação de órgãos sadios”, ressalta Rebelo.

BENEFÍCIOS

Radioterapia guiada por imagem

Pode ser baseada em imagens adquiridas com Cone Beam Computed Tomography (CBCT) para a verificação do posicionamento do paciente e a evolução do volume alvo do tratamento.

Maior segurança na entrega de dose de irradiação

 Durante a fase de inspiração profunda (controle respiratório) há a entrega de dose do feixe de tratamento, o que ajuda a distanciar o feixe de órgãos adjacentes. Uma das indicações é para o tratamento de mama, onde, com a inspiração controlada, é possível distanciar o coração do feixe de irradiação.

Tratamento mais ágil

Redução do número de sessões de tratamento do câncer de próstata.

CENTRO DE INFUSÃO

Hospital Santa Rita
No Centro de Infusão do Hospital Santa Rita são realizados atendimentos para quem necessita de aplicações de medicamentos por via intravenosa, subcutânea ou intramuscular. Crédito: Hospital Santa Rita/Divulgação

Com ambiente confortável e atendimento individualizado e humanizado, o complexo oncológico do Santa Rita também possui um Centro de Infusão. Nesse local são realizados atendimentos para quem necessita de aplicações de medicamentos por via intravenosa, subcutânea ou intramuscular, como imunossupressores, imunoterápicos, quimioterápicos, reposição de ferro, entre outros.

Para conforto dos pacientes, informa o diretor-geral do Santa Rita, Carlos Clayton Lobato, “contamos com sete boxes e três camas, ambiente agradável, acolhedor e, ainda, provido de televisão com TV a cabo, WI-FI e ar condicionado”.

O espaço tem uma equipe multiprofissional formada por médicos, enfermeiros, farmacêuticos, psicólogos, químicos, assistentes sociais, nutricionistas e dentistas. Durante o procedimento, acrescenta Lobato, o paciente recebe todas as orientações e a equipe fica à disposição.

Para os pacientes oncológicos é oferecido, como cortesia, a Laserterapia - procedimento que evita efeitos colaterais como a mucosite, muito comum durante o tratamento quimioterápico.

Outro diferencial, segundo Lobato, é o oferecimento da touca que promove o resfriamento do couro cabeludo, a fim de diminuir os efeitos da queda de cabelo. "Todo o atendimento é voltado para oferecer o maior conforto e segurança ao paciente", evidencia.

O Centro de Infusão do Hospital Santa Rita atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 18 horas.

Este é um conteúdo de responsabilidade do anunciante.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde câncer medicina Saúde Hospital Santa Rita de Cássia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.