ASSINE

Senador bolsonarista chama professor da Ufes para depor na CPI da Covid

Marcos Rogério (DEM) protocolou requerimento convocando professor do Departamento de Física defensor do "tratamento precoce" contra Covid-19

Vitória
Publicado em 01/05/2021 às 10h52
Reunião da CPI da Covid
Reunião da CPI da Covid: requerimentos de convocação ainda têm que ser aprovados pelo colegiado. Crédito: Jefferson Rudy/Ag. Senado

O senador bolsonarista Marcos Rogério (DEM-RO), que faz parte da CPI da Covid, protocolou um requerimento para convocar o professor da Ufes Francisco Guilherme Emmerich a prestar depoimento na comissão, na condição de especialista.

Emmerich é físico e defensor do “tratamento precoce” para Covid-19. Ele é também autor de um artigo que associa a queda de mortes pela doença no Pará ao uso de ivermectina, hidroxicloroquina e azitromicina, medicamentos que não têm eficácia comprovada cientificamente contra o novo coronavírus.

O requerimento ainda não foi apreciado pela comissão. Caso ele seja aprovado, o professor pode optar por não depor. Atualmente, Emmerich está aposentado, mas atua como professor voluntário no Departamento de Física da universidade.

PEDIDO DE CONVOCAÇÃO

O pedido de convocação foi protocolado no dia 28 de abril. No documento, o senador Marcos Rogério reafirma o papel da CPI em “esclarecer os fatos no tocante ao colapso da saúde no Estado do Amazonas” e menciona que “pesquisas científicas vêm sendo construídas “em cima de casos, dados e estatísticas” para entender a doença e buscar protocolos para o atendimento de infectados.

O parlamentar não deixa claro o motivo pelo qual Emmerich está sendo convidado a depor, apenas diz que é uma pessoa com conhecimento e que “tem muito a colaborar”.

Marcos Rogério cita o professor como pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Espírito Santo, cargo que ele não exerce mais, desde 2012.

O professor Francisco Emmerich é formado em Física e Engenharia Elétrica pela Ufes e tem Doutorado em Física pela Unicamp. Durante oito anos (2004-2012) atuou como Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Espírito Santo.

Segundo o portal da Ufes, ele tem experiência na área de Ciência e Engenharia de Materiais, com ênfase em Materiais Não-Metálicos.

Em março deste ano, Emmerich publicou um artigo na Revista International Journal of Environmental Research and Public Health comparando a evolução das mortes pela Covid-19 no Amazonas e no Pará durante a segunda onda da pandemia.

O professor aponta para “um possível papel” exercido pelo uso de ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina na diferença dos resultados nos Estados. Em maio do ano passado, o governo do Pará anunciou a distribuição desses medicamentos para a população.

Em vídeos publicados nas redes sociais, Emmerich também afirma que o tratamento precoce contra da Covid-19 salva vidas. Apesar da afirmação, não há comprovação científica da eficácia dos medicamentos para combater a doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda o chamado tratamento precoce e autoridades de saúde têm alertado para efeitos colaterais graves. Mesmo assim, o governo Bolsonaro faz propaganda dos medicamentos desde o início da pandemia. 

Procurado pela reportagem, o professor Francisco Emmerich informou, por meio da assessoria de imprensa da Ufes, que prefere não conceder entrevista antes de o pedido de convocação para depor na CPI ser aprovado pelo colegiado.

"Tendo em vista a minha indicação para depor na CPI, que poderá ser aprovada ou não, não acho apropriado eu fazer depoimentos sobre o meu trabalho à imprensa neste momento. Reitero que, com satisfação, poderei dar uma entrevista no futuro", registrou em nota. 

ALA GOVERNISTA

Marcos Rogério é vice-líder do governo Bolsonaro no Senado. Ele é um dos quatro integrantes da CPI da Covid que faz parte da ala governista. Embora sejam minoria – 4 entre 11 – os parlamentares alinhados ao Palácio do Planalto têm tentado desviar o foco da comissão solicitando informações a Estados e municípios referentes à aplicação de recursos federais no combate à Covid-19.

Em alinhamento com a estratégia do Planalto, Marcos Rogério já pediu oitivas com três governadores: Wilson Lima, do Amazonas; Rui Costa, da Bahia; e Helder Barbalho, do Pará.

enador Marcos Rogério (DEM) integra o grupo da CPI da Covid
Senador Marcos Rogério (DEM) integra o grupo da CPI da Covid. Crédito: Jefferson Rudy

A CPI foi criada para investigar ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia no país e na crise sanitária no Amazonas. Mas, após pressão de parlamentares governistas, o escopo foi ampliado.

O senador Marcos Rogério foi procurado pela reportagem, via assessoria de imprensa, para explicar os motivos do pedido de convocação do professor Francisco Emmerich para depor na CPI da Covid. Até a publicação deste texto, ele não havia se manifestado. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.