ASSINE

Entenda como um desembargador do TJES é escolhido

Saiba como é feita a seleção e a prerrogativa de reservar parte das vagas para membros da OAB e Ministério Público

Publicado em 03/10/2019 às 10h55

Nesta quinta-feira (3), dia em que o desembargador Ronaldo Gonçalves será escolhido pelos pares como presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), A Gazeta explica como é escolhido um desembargador. O tribunal tem 30 desembargadores. Do total, 24 são juízes de 1º grau. Ronaldo Gonçalves, por exemplo, foi juiz de Direito e também juiz eleitoral durante sua carreira, até ser escolhido e promovido a desembargador em 2005.

Outras seis vagas são destinadas ao Ministério Público do Estado (MPES) e à Ordem dos Advogados do Brasil - seccional Espírito Santo (OAB-ES). É o Quinto Constitucional, previsto na Constituição Federal.

Entenda como é a escolha de um desembargador, seja magistrado, membro do MPES ou advogado.

A Gazeta integra o

Saiba mais
tjes

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.