ASSINE

Mulher viu irmã ser morta e tentou salvar sobrinha em Vila Velha

Elizangela dos Santos Freitas passou por momentos difíceis ao presenciar uma tragédia nesta quinta-feira (25): viu a irmã ser assassinada e não conseguiu impedir a morte da sobrinha. Suspeito é ex-companheiro da jovem

Tempo de leitura: 4min

A catadora de materiais recicláveis Elizangela dos Santos Freitas passou por momentos difíceis ao presenciar uma tragédia nesta quinta-feira (25). Ela viu sua irmã, Silvanete dos Santos Freitas, de 38 anos, ser assassinada com um tiro na cabeça no bairro Zumbi dos Palmares, em Vila Velha, e tentou impedir que o mesmo acontecesse com sua sobrinha, mas não conseguiu. Minutos depois, Karina Freitas, de 20 anos, foi morta com um tiro na cabeça no bairro Jardim Marilândia. O ex-companheiro da jovem, Adenilton de Jesus Nascimento dos Santos, é o suspeito dos dois homicídios.

Tia que presenciou a morte da irmã e da sobrinha
Catadora de materiais recicláveis presenciou a morte da irmã e tentou impedir o assassinato da sobrinha. Crédito: Fernando Madeira

Elizangela contou que entrou em estado de choque ao ver a irmã sendo morta, e chegou a tentar alertar Karina, que estava na empresa de reciclagem onde trabalhava, mas não conseguiu. Segundo ela, após  matar Silvanete, o suspeito deu a entender que iria atrás da jovem.

Karina Freitas, de 20 anos, foi morta pelo ex-companheiro em Vila Velha
Karina Freitas, de 20 anos, foi morta pelo ex-companheiro em Vila Velha. Crédito: Reprodução/Facebook

"Entrei em estado de choque. Ele olhou para a minha cara, saiu correndo e disse:  'Agora eu vou terminar'. Deu tempo de ir avisar minha mãe, mas não deu tempo de avisar a Karina. Quando eu cheguei, já havia acontecido essa tragédia", disse.

Karina Freitas, de 20 anos, foi morta pelo ex-companheiro em Jardim Marilândia
Karina Freitas, de 20 anos, foi morta pelo ex-companheiro em Jardim Marilândia. Crédito: Fernando Madeira

Segundo Elizangela, a motivação do crime foi o fato de o suspeito não aceitar o novo relacionamento de Karina. Ele foi à casa de Silvanete a acusando de ter passado seu número de celular para o novo namorado de Karina, pois ele havia recebido uma ligação dele o ameaçando. Silvanete teria dito que iria à delegacia, mas o homem afirmou que não daria tempo e matou a mãe de sua ex com um tiro na cabeça.

Segundo a tia da jovem, Karina e o suspeito tiveram uma briga nesta quarta-feira (24), em que o homem teria dito para a vítima terminar o atual relacionamento ou ele a mataria. Ela disse que sua sobrinha respondeu ao suspeito que não terminaria, e que, mesmo que terminasse, não reataria o relacionamento com ele.

A catadora de materiais recicláveis disse que sua sobrinha e o suspeito ficaram juntos por cerca de três anos e tiveram uma filha, que tem um ano. Ela contou que eles já estavam separados há cerca de dois meses, mas ele não aceitava o término do relacionamento e nem o fato de Karina ter começado um novo namoro. Elizangela afirmou que está em contato com a família do suspeito, que nega que ele tenha sido o autor dos crimes.

Elizangela dos Santos Freitas

Tia de Karina

"Tudo que minha sobrinha queria era viver a vida dela. Ela morreria pela filha dela"

"Ele acabou com a minha vida e da minha família, porque ele acabou com a vida de uma menina de 20 anos, que tinha tudo para viver, e da minha irmã. Eu quero Justiça, quero que ele seja preso. Ele falou que não foi ele e que ele vai se apresentar com advogado, mas ele fez na minha frente e eu sei que foi ele", disse.

Elizangela também falou que o suspeito já havia ameaçado Karina em outras oportunidades, e dito que não aceitaria nenhum outro relacionamento dela. Ainda segundo a catadora de materiais recicláveis, o ex-companheiro da jovem pegou, com ela, a filha deles de um ano na noite desta quarta-feira (24). A atitude já era de praxe na família e a menina foi levada para a casa da avó paterna.

Demandada pela reportagem, a Polícia Militar informou, em nota, que "por volta das 11h desta quinta-feira (25), um homem foi até a casa da ex-sogra no bairro Zumbi, em Vila Velha, onde atirou contra a mulher, que teve o óbito confirmado no local. Em seguida, o indivíduo prosseguiu até o trabalho da ex-mulher, no bairro Cobilândia, onde também a matou com um disparo de arma de fogo e se evadiu após o fato".

Em nota, a Polícia Civil informou que os corpos das vítimas foram encaminhados para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória e que nenhum suspeito havia sido detido até as 16h50 desta quinta-feira (25). O caso é investigado pela Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) e outros detalhes não foram passados.

"A população tem um papel importante nas investigações e pode contribuir de forma anônima por meio do Disque-Denúncia (181), que também possui um site no qual é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. O anonimato é garantido e todas as informações fornecidas são investigadas", reforçou a PC.

Atualização

25 de Novembro de 2021 às 17:20

A Polícia Civil enviou nota sobre o caso e informou que ninguém foi detido. O texto foi atualizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.