ASSINE

Morte de motorista de aplicativo: corpo encontrado e suspeitos presos no ES

O corpo de Amarildo Amaro Freire, de 57 anos, foi encontrado em uma propriedade rural de Guarapari, na tarde desta terça-feira (23). De acordo com a polícia, três suspeitos de envolvimento no crime foram presos

Publicado em 24/03/2021 às 08h13
Atualizado em 24/03/2021 às 09h19
O motorista de aplicativo Amarildo Amaro Freire, de 57 anos, fez o último contato com a família por volta de 10h desta segunda-feira (22)
O motorista de aplicativo Amarildo Amaro Freire, de 57 anos, fez o último contato com a família por volta de 10h desta segunda-feira (22). Crédito: Divulgação

A polícia encontrou, na tarde desta terça-feira (23), em Guarapari, o corpo do motorista de aplicativo Amarildo Amaro Freire, de 57 anos. Ele estava desaparecido desde a manhã de segunda (22), quando saiu para trabalhar e fazer corridas pelo aplicativo na própria cidade de Guarapari. O corpo de Amarildo foi encontrado em uma propriedade rural na região de Alto São Miguel. A informação foi confirmada pela polícia à TV Gazeta.

Também foi informado pela polícia que três pessoas suspeitas de envolvimento na morte do motorista foram detidas, sendo dois adultos presos e um adolescente apreendido. Essa informação foi confirmada pelo delegado Guilherme Eugênio, titular do Departamento de Investigações Criminais (Deic), de Guarapari, à TV Gazeta. O delegado afirmou que se trata de um grupo criminoso que já vinha roubando outros motoristas de aplicativo na região e que terminou com o roubo e morte de Amarildo.

A Polícia Civil informou que uma coletiva de imprensa será realizada nesta quarta (24), às 10h30, para que mais detalhes sobre o caso sejam divulgados.

Uma cunhada de Amarildo conversou com a reportagem da TV Gazeta e falou sobre a morte do familiar. Segundo ela, o motorista foi encontrado amarrado e com uma marca de tiro na cabeça. “Encontraram ele morto, amarrado com o cinto de segurança, que estava cortado, e executaram ele com um tiro na cabeça. É muito triste, eu não sei como um ser humano tem coragem de tirar a vida de alguém que está trabalhando, eu não entendo isso. Que coração duro essas pessoas têm”, desabafou, emocionada.

O CASO

Amarildo Amaro Freire, de 57 anos, era morador de Itaoca, distrito de Itapemirim, mas trabalha fazendo corridas de aplicativo em Guarapari. Ele fez o último contato com a família por volta das 10h de segunda-feira (22). O veículo em que ele trabalhava, um Fiat Linea, cor branca pérola, de placas OYH-1C96, já havia sido encontrado na manhã desta terça (23), em Guarapari.

Também nesta terça (23), durante às buscas por Amarildo, a Polícia Civil já havia informado que ele podia ter sido vítima de um grupo criminoso que atua em Guarapari e já era investigado pelas autoridades.

“A linha de investigação inicial indica que o motorista pode ter sido vítima de um grupo criminoso especializado em roubos de veículos de transporte por aplicativo, que já fez outras vítimas no município e é alvo de investigação conduzida pelo Deic de Guarapari”, informou a PC na ocasião.

Com informações de Daniela Carla, da TV Gazeta

Atualização

24 de Março de 2021 às 09:16

A matéria foi atualizada com o local onde o corpo do motorista foi encontrado, além da informação da polícia sobre a apreensão de um menor e da coletiva de imprensa que será realizada. Foi incluído também um depoimento de um familiar de Amarildo. O texto foi atualizado. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Guarapari Polícia Civil desaparecidos Motorista de Aplicativo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.