ASSINE

Casal morto no ES: família de iraniano autoriza enterro junto com advogada

Os familiares do estilista iraniano Dali Atashi, que era muçulmano, morto ao lado da esposa Marinelva Venturim no último domingo (18), foram consultados pelos parentes da advogada executada. Eles decidiram pelo sepultamento do casal no mesmo cemitério

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 20/04/2021 às 13h00
Santa Leopoldina
Atashi e Marinelva moravam há mais de 20 anos em Santa Leopoldina. O casal foi morto a tiros, no próprio sítio, no último domingo (18). Crédito: Arquivo pessoal

A família do estilista iraniano Dali Atashi, de 67 anos, que era muçulmano, autorizou que ele seja enterrado ao lado da esposa, a advogada Marinelva Venturim de Paula, de 62 anos. O casal foi executado a tiros no último domingo (18) no próprio sítio, localizado na região de Colina Verde, no interior de Santa Leopoldina, na Região Serrana do Espírito Santo.

Por ser estrangeiro, a decisão sobre o que seria feito com o corpo do estilista foi tomada em comum acordo com os familiares dele, como narrado pela filha da advogada assassinada, a professora Camilla Carmem Venturim de Paula, de 39 anos.

"A mãe dele, a senhora Pari Atash, tem 90 anos e ficou muito chocada com a notícia da morte do filho. Ela fez muitas perguntas sobre como aconteceu, porque mataram ele e a esposa, e não consegue entender. Como ele e minha mãe eram muito unidos, a família achou justo que fosse sepultado ao lado da esposa", disse Camilla.

Segundo a professora, o padrasto tinha duas filhas de outro relacionamento, Jenny e Kastin, que assim como a mãe dele, moram no estado da Flórida, nos Estados Unidos.

AGUARDO POR DECISÃO

Camilla relatou que tentaria realizar a cremação do corpo da mãe, como era desejo já manifestado por Marinelva em vida. A professora, entretanto, informou que pelo fato da advogada ter sido executada a tiros, é provável que a justiça não autorize o procedimento para preservar os restos mortais.

Desta forma, o sepultamento do casal já está sendo providenciado e será realizado no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, em Vila Velha. A data do adeus a Marinelva e Atashi ainda não foi decidida, pois, necessita da liberação dos corpos junto ao Departamento Médico Legal de Vitória (DML), para onde eles foram levados após o crime. A expectativa da família é que a cerimônia de despedida aconteça entre esta terça (20) e quarta-feira (21).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.