ASSINE

Após invadir área do Exército, jovem é solta e vai responder em liberdade

Ela foi detida por entrar no 38° Batalhão de Infantaria (BI), depois de derrubar o portão de acesso com um carro

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 09/06/2021 às 20h24
Atualizado em 09/06/2021 às 20h37
Com carro, mulher arrebentou o portão de entrada da área do Exército na Prainha
Com carro, mulher arrebentou o portão de acesso à área do Exército e entrou sem autorização. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

A jovem de 25 anos que invadiu o 38º Batalhão de Infantaria (BI), na Prainha, em Vila Velha, vai responder a um processo na Justiça Militar, mas em liberdade. Os procedimentos para a soltura foram concluídos na noite desta quarta-feira (9), e ela foi liberada.  Ela havia sido detida na noite de terça-feira (8), depois de derrubar o portão de acesso dirigindo um automóvel. Na área do Exército, a jovem foi perseguida por militares até ser contida.

O comandante do 38º BI, tenente-coronel Rodrigo Penalva, contou que a jovem passou o dia no Batalhão, acompanhada dos pais, e foram realizadas oitivas (coleta de depoimentos sobre o episódio). As informações apuradas foram submetidas à Justiça Militar, no Rio de Janeiro, unidade à qual o Exército do Espírito Santo está enquadrado.

Questionado sobre os crimes cometidos pela jovem, o tenente-coronel Penalva afirmou que ela vai responder por invasão e dano ao patrimônio.

Sobre a condição de saúde da jovem, que numa avaliação inicial do comandante parecia estar em surto, não houve detalhamento. O tenente-coronel Penalva disse que ela foi acompanhada por uma oficial médica no 38º BI, mas não foi possível aprofundar a análise clínica.  

ENTENDA O CASO

A invasão ocorreu na noite de terça-feira. Com um carro, ela parou na guarita de entrada e disse a um militar que queria dormir no local. Após a recusa, ela deu ré, tomou distância e acelerou em direção ao portão principal, destruindo a estrutura. Lá dentro, foi perseguida pelos militares, tentou agredir alguns deles e acabou detida.

Em um primeiro momento, a jovem chegou a ser levada para uma delegacia de Polícia de Vila Velha, mas o delegado de plantão disse que não se tratava de um caso para a Polícia Civil, mas sim da União, por se tratar de uma área militar.

Em contato com a reportagem de A Gazeta pela manhã, o tenente-coronel Penalva informou que um laudo de prisão em flagrante seria feito para conduzi-la novamente à delegacia. O documento foi preparado para o registro do boletim de ocorrência, mas o comandante falou, já no início da noite, que a jovem não precisou ser levada à unidade da Polícia Civil porque o caso continuará a ser tratado na esfera militar. 

Atualização

9 de Junho de 2021 às 20:37

Texto anterior desta matéria informava que a jovem ainda não havia sido solta e as acusações não estavam definidas. O Exército informou posteriormente que ela foi colocada em liberdade e irá responder por invasão e dano ao patrimônio. O texto foi atualizado.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.