ASSINE

Após morte em Vila Velha, motoristas protestam e pedem segurança em Linhares

Dezenas de profissionais do Norte do Espírito Santo se reuniram solidários ao motorista esfaqueado na Barra do Jucu, em Vila Velha

Publicado em 18/02/2020 às 12h32
Atualizado em 18/02/2020 às 14h07
Os motoristas de aplicativo cobram mais policiamento nas ruas. Crédito: TV Gazeta Norte/Reprodução
Os motoristas de aplicativo cobram mais policiamento nas ruas. Crédito: TV Gazeta Norte/Reprodução

Vários motoristas de aplicativo se reuniram na manhã desta terça-feira (18), no bairro Três Barras, em Linhares, para protestar contra a morte de um companheiro de profissão e pedir mais segurança para a categoria. Eles percorreram várias ruas da cidade pedindo mais policiamento. A manifestação é em solidariedade ao motorista Cássio Caliman, de 65 anos, que foi esfaqueado enquanto trabalhava no município de Vila Velha, na Grande Vitória.

“Infelizmente hoje eu e os colegas não nos sentimos seguros. Nós vivemos atrás do volante, e às vezes, em uma rotina intensa, um trabalho que é estressante e também somos vulneráveis à insegurança. Hoje, estamos em solidariedade à família do nosso companheiro que faleceu vítima da violência em Vila Velha. A ideia é mobilizar o máximo de motoristas possível”, relata Marcelo Pereira.

Segundo os organizadores, Linhares tem cerca de 600 motoristas de aplicativo que trabalham 24 horas no transporte de passageiros. Para eles, os problemas com insegurança são recorrentes. “Eu penso que, para nós, e também para os passageiros é muito importante a presença da Polícia Militar de Trânsito, com abordagens específicas a carros de aplicativos, identificar um potencial assalto, porque, às vezes, nós como motoristas levamos todos os tipos de pessoas no nosso carro e a gente não conhece, não sabe quem é quem. Então, penso que nesse momento a Polícia Militar, dando um apoio maior, pode ajudar bastante”, ressalta Marcelo.

Para as mulheres, a situação é ainda pior, segundo os motoristas. A Lane trabalha com carros de aplicativo e relata que convive com medo todos os dias. “Eu saio, deixo meus filhos em casa e fico preocupada sem saber se vou voltar, porque essa onda de violência está complicada. Mais policiamento na rua acho que seria o suficiente para as pessoas se sentirem intimidadas quando quiserem fazer algo, ver que tem uma viatura perto e ficar com medo”, comenta.

Em Linhares, segundo os organizadores, são pelo menos 600 motoristas de aplicativo. Crédito: Internauta
Em Linhares, segundo os organizadores, são pelo menos 600 motoristas de aplicativo. Crédito: Internauta

O QUE DIZ A POLÍCIA MILITAR

Em nota, a Polícia Militar informou que “realiza policiamento ostensivo com o objetivo de combater todo tipo de crime e que diariamente são desenvolvidas operações com foco em abordagens a todo tipo de veículo, em todo o Estado”.

Segundo a PM, “as ações são realizadas tanto em veículos que tenham passageiros quanto naqueles que tenham somente o condutor”. A nota ressalta ainda que “muitas vezes os policiais possuem dificuldade em identificar que se trata de um motorista de aplicativo, visto que o carro não possui nenhum tipo de identificação”.

A Polícia Militar conta com o apoio da população e informa que denúncias podem ser feitas pelo telefone 181 ou pelo site www.disquedenuncia181.es.gov.br ou pelo 190 a qualquer momento.

*Com informações de Eduardo Dias, da TV Gazeta Norte

A Gazeta integra o

Saiba mais
Linhares linhares ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.