ASSINE

Vitória gastou R$ 904 mil com câmeras não usadas para multar na Linha Verde

As 16 câmeras  foram instaladas em janeiro de 2018 para fiscalizar motoristas irregulares na faixa exclusiva da Avenida Dante Michelini, em Camburi.  Aluguel dos equipamentos até o momento custa pouco mais de R$ 39 mil por mês

Publicado em 27/11/2019 às 21h54
Placa de sinalização de fiscalização por câmeras na Linha Verde, na Avenida Dante Michelini. Crédito: Fernando Madeira
Placa de sinalização de fiscalização por câmeras na Linha Verde, na Avenida Dante Michelini. Crédito: Fernando Madeira

Prefeitura de Vitória gastou R$ 904 mil com o pagamento de aluguel de  16 câmeras para fiscalizar a Linha Verde, na Avenida Dante Michelini, e multar os motoristas irregulares na faixa exclusiva, durante quase dois anos. Porém, em todo esse tempo, os equipamentos nunca foram utilizados nas funções para  as quais foram anunciadas pela administração do município. 

Em janeiro de 2018, a prefeitura divulgou que as câmeras haviam sido locadas e instaladas na avenida com o objetivo de flagrar os motoristas que utilizassem a  Linha Verde de forma irregular. A via é  um corredor exclusivo para ônibus, vans, táxis e carona solidária  – carro de passeio com até três ocupantes  –, e funciona no sentido Centro-Jardim Camburi da orla de Camburi. Segundo a Secretaria de Transporte, Trânsito e Infraestrutura de Vitória, o valor do aluguel é de R$ 39.312,00 por mês. 

No entanto, após a instalação das câmeras e  efetivação do funcionamento da Linha Verde, em março de 2018, os próprios representantes da prefeitura perceberam que os equipamentos não conseguiriam identificar os carros com carona solidária.  Ou seja, as câmeras não poderiam ser usadas para multar, uma vez que não conseguiriam identificar a quantidade de pessoas no  interior de cada veículo para que atendesse à modalidade de carona solidária, permitida na Linha Verde.

Indicado pela assessoria da prefeitura para falar sobre a situação, o secretário de Segurança Urbana de Vitória, Fronzio Calheira, disse que as câmeras foram utilizadas para monitorar e evitar roubos e furtos, apesar de não terem sido alugadas para essa função. 

Fronzio Calheira

Secretário de Segurança Urbana de Vitória

"O que posso garantir é que, no período que elas não foram utilizadas para fiscalizar a Linha Verde, essas câmeras foram utilizadas para monitorar e impedir roubos e furtos de veículos em Vitória. Então, no meu entender, elas contribuíram para a redução de mais de 50% que tivemos de crime de roubos e furtos de veículos na Capital. A princípio, as câmeras foram contratadas para auxiliar na fiscalização da Linha Verde, mas por conta da carona solidária, elas deixaram de ser utilizadas, já que isso impede o uso dessas câmeras como instrumento de fiscalização. Mas elas continuaram sendo utilizadas no Cerco Inteligente de Segurança"

Em meados de novembro deste ano, após decidir que a fiscalização da Linha Verde e a aplicação de multas a motoristas irregulares ficaria a cargo de equipes da Guarda Municipal, a Secretaria de Segurança Urbana contratou uma empresa para retirar 12 das 16 câmeras da Linha Verde, segundo informou na época o secretário Fronzio Calheira.

Os equipamentos seriam reinstalados nas avenidas Marechal Campos, Serafim Derenzi, Leitão da Silva e Maruípe, expandido o Cerco Inteligente de Segurança responsável por fotografar e filmar carros roubados, furtados ou em atitude suspeita.  Ao ser questionado sobre os motivos de, durante quase dois anos, a prefeitura ter pago os aluguéis dos equipamentos para fiscalizar o trecho da Linha Verde sendo que percebeu-se que apenas quatro serão suficientes, o secretário explicou: “Eu sou secretário de segurança. Eu sugeri essa alteração ao secretário de Trânsito (da Setran). O que eu sugeri, foi acatado e está sendo feito”, pontuou

Também foi perguntado ao secretário Fronzio Calheira por que  as câmeras não foram devolvidas logo que  a prefeitura identificou que não havia possibilidade de utilizá-la para multar na Linha Verde, uma vez que os equipamentos eram alugados.  "Todas as câmeras foram usadas desde a instalação no Cerco Inteligente de Segurança e ajudaram a coibir roubos e furtos de veículos. Recentemente, sugerimos a mudança de lugar porque entendemos que seriam ainda mais úteis em outros pontos da cidade", voltou a pontuar o secretário. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
camburi (praia) dante michelini dinheiro prefeitura de vitória trânsito Vitória (ES)

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.