ASSINE

Mais de 740 lojas são fechadas pelas prefeituras na Grande Vitória

Operações fecham bares, restaurantes, lojas e até academias nas cidades da Grande Vitória

Publicado em 07/04/2020 às 19h33
Comércio na Avenida Expedito Garcia em Campo Grande: decreto para fechamento de lojas vai até semana que vem
Comércio na Avenida Expedito Garcia em Campo Grande: decreto para fechamento de lojas vai até semana que vem. Crédito: Vitor Jubini

Desde que estabeleceu o fechamento do comércio que não fosse de primeira necessidade, no dia 20 de março, Casagrande vem tentando gradativamente fazer com que o funcionamento das lojas seja normalizado. A maioria dos lojistas, porém, ainda está impedida de abrir as portas. Desde a publicação do decreto, as prefeituras fecharam mais de 740 estabelecimentos que estavam funcionando na Grande Vitória.

Bares e restaurantes só podem ficar abertos até às 16h, enquanto academias e estabelecimentos que não sejam de primeira necessidade e que não foram liberados pelo Governo do Estado devem seguir fechados. O comerciante que abrir as portas pode ter o registro cassado, mas ainda não há registro desse tipo de punição na região metropolitana do Estado.

Para garantir a segurança da população e o distanciamento social, as prefeituras da Grande Vitória têm adotado medidas para certificar o não funcionamento do comércio nas cidades.

VITÓRIA

A Prefeitura de Vitória informou que a Secretaria de Desenvolvimento da Cidade recebeu 658 denúncias de estabelecimentos comerciais abertos, nos últimos 15 dias. De acordo com a prefeitura, foi realizado um trabalho de orientação de 426 comerciantes para que parassem o atendimento presencial e fizessem a venda por aplicativo e entrega em domicílio ou take away (retirada no balcão), que foi obedecida.

A orientação de permanecer em casa foi reiterada pela Prefeitura de Vitória. Denúncias podem ser feitas pelo aplicativo Vitória On Line e 156.

VILA VELHA

A Prefeitura de Vila Velha informou que, desde o último dia 23 de março, a Guarda Municipal, em ações individuais e conjuntas com equipes de fiscalização da prefeitura, orientou o fechamento de mais de 150 estabelecimentos comerciais não essenciais, em sua maioria bares, em diversos bairros da cidade. A prefeitura declarou que nos últimos três dias foram flagrados 62 estabelecimentos em pleno funcionamento.

Os proprietários foram orientados a cumprir o que determina o decreto estadual, que restringe o funcionamento dos estabelecimentos não essenciais. Vila Velha teve, inclusive, um proprietário preso por descumprir o decreto de fechamento do comércio.

CARIACICA

A Prefeitura de Cariacica afirmou que, desde o início da pandemia até hoje, foram fechados mais de 150 estabelecimentos comerciais, como academia, bares e lojas. De acordo com a prefeitura, em caso de reincidência os estabelecimentos notificados poderão pagar multa, que varia de R$ 500 a R$ 1.500, e o proprietário pode perder o direito de abrir.

A prefeitura explicou também que, para fazer denúncia de comércios abertos, o morador pode ligar para o telefone 0800 283 9255. A Prefeitura de Cariacica reiterou o pedido de colaboração dos moradores para combater a propagação do coronavírus na cidade.

SERRA

Na Serra, a prefeitura alegou que foram 109 estabelecimentos fechados, desde o início das fiscalizações, na semana passada. A Guarda Municipal da Serra, juntamente com a Vigilância Sanitária, está percorrendo os bairros para verificar se os estabelecimentos que não têm permissão estão cumprindo as determinações de permanecerem fechados.

A Prefeitura da Serra comunicou que, além das medidas administrativas, o comerciante que for flagrado será orientado, notificado e, se insistir em contrariar as orientações, poderá ser detido por desobediência.

GUARAPARI

Em Guarapari, de acordo com a prefeitura, os comerciantes estão atendendo o pedido dos fiscais e até o momento não foi realizada condução alguma para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ). A Secretaria Municipal de Postura e Trânsito (Septran), porém, lembra que em caso de desobediência aos decretos do Estado e do município, as pessoas podem ser conduzidas à delegacia e podem responder por crime de desobediência.

FUNDÃO E VIANA

Procuradas pela reportagem  de A Gazeta, as Prefeituras de Fundão e Viana não responderam sobre o assunto até o fechamento dessa matéria.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.