ASSINE

Viação Itapemirim terá terrenos leiloados no ES para pagar dívidas

Os imóveis estão localizados no Trevo de Alto Laje, em Cariacica,  e podem ser arrematados com um lance inicial de R$ 3,56 milhões

Publicado em 03/07/2020 às 12h08
Ônibus da Viação Itapemirim na antiga garagem da empresa em Cariacica: terreno será leiloado
Ônibus da Viação Itapemirim na antiga garagem da empresa em Cariacica: terreno será leiloado. Crédito: Bernardo Coutinho/Arquivo

Viação Itapemirim dará início, no dia 27 de julho, ao leilão virtual de dois terrenos da antiga garagem da empresa no Trevo do Alto Laje, em Cariacica. Os imóveis, um com área de 1.248m² e outro de 832m², poderão ser disputados com um lance inicial de R$ 3.560.000,00.

O leilão faz parte do plano de recuperação judicial da empresa, aprovado no ano passado, e que previa a venda de ativos para pagar as dívidas trabalhistas e com fornecedores que somavam R$ 300 milhões, além de um passivo tributário que ultrapassa R$ 1 bilhão.

A venda será feita de forma on-line no site da TM Leilões até as 14h do dia 13 de agosto. Os interessados em dar um lance deverão estar cadastrados e habilitados na plataforma com pelo menos uma hora de antecedência.

As visitas ao lote podem ser feitas até três dias antes da data de abertura do leilão. Para isso, é preciso já estar cadastrado e agendar a visita pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (11) 3237-0069.

ENTENDA O CASO

A empresa, fundada por Camilo Cola em 1953, enfrenta desde março de 2016 um longo processo de recuperação judicial. A companhia entrou com o pedido na Justiça alegando ter R$ 336,49 milhões em dívidas trabalhistas e com fornecedores, além de R$ 1 bilhão em um passivo tributário.

A família Cola então decidiu vender a empresa, junto de outros seis negócios do grupo, para empresários de São Paulo. Após uma longa fase de discussão e um processo de briga entre os sócios capixabas e paulistas, o plano de recuperação foi homologado em 2019.

Para pagar as 1.480 pessoas físicas ou jurídicas com as quais o grupo tem dívidas, ficou determinado que imóveis e linhas de ônibus da companhia fossem leiloados.

IMPACTOS DO CORONAVÍRUS

No início de junho, funcionários protestaram na garagem da empresa em Viana, impedindo os ônibus de saírem. Eles foram demitidos em março por conta da crise do coronavírus e estavam sem pagamento desde então.

A viação teve o plano de recuperação judicial alterado neste ano com aprovação da Justiça, podendo utilizar 80% dos valores arrecadados nos leilões para o custeio da operação da empresa e só os 20% restantes para o pagamento de credores.

Com isso, a Itapemirim conseguiria pagar em dia os salários dos funcionários e também os débitos com os demitidos.

A empresa foi procurada para falar sobre o leilão, mas não respondeu até o fechamento desta matéria. Assim que responderem, o texto será atualizado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.